A Microsoft fez um certo barulho com as vendas iniciais do Surface, esgotando rapidamente os estoques online do novo tablet. Porém, o CEO da empresa, Steve Ballmer, deu uma entrevista para o jornal francês Le Parisien, e afirmou que as vendas inicias do produto não foram tão impressionantes assim, chamando esse volume inicial de “modesto”.

Chega a ser impressionante esse tipo de declaração, ainda mais vindo do fanfarrônico CEO da Microsoft. De qualquer forma, Ballmer informou que o motivo das modestas vendas inicias está no fato do Surface só poder ser comprado online, na Microsoft Store, e em poucas lojas físicas da Microsoft nos Estados Unidos. Resumindo: os culpados foram os canais de distribuição do produto. E, de fato, Ballmer tem a sua dose de razão. Propaganda para promover o Surface (e o Windows 8) não está faltando.

Ballmer não falou em números de vendas do produto até o momento. Porém, vale a pena observar que, pelo menos nessas mesmas vendas online, o Surface RT estava esgotado, e o seu estoque ficou zerado durante pelo menos uma semana na loja online da Microsoft. E essa é uma boa notícia para o pessoal de Redmond, pois mostra que existe o interesse por parte do consumidor. Resta esperar para saber se essa tendência de vendas se confirma nas vendas físicas após o final desse último trimestre de 2012.

O CEO da Microsoft confirma que o problema dos estoques zerados será contornado rapidamente, e que o aumento gradativo desses estoques é parte da estratégia de vendas da empresa. Até o momento, apenas a versão mais básica do tablet (Surface RT, 32 GB, sem case, por US$ 499). O Surface Pro ainda não está disponível no mercado, e só vai ser lançado em três meses (começo de 2013). Também é importante relembrar ao amigo leitor que o Surface Pro é um tablet com características dignas de um ultrabook (segundo informa a Microsoft), com um processador Intel Ivy Bridge, placa gráfica Intel HD 4000, 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento em SSD. Seu preço ainda não foi definido.

Ou seja, as declarações de Ballmer não mostram se o Surface é um sucesso ou um fracasso. Ainda é difícil opinar sobre isso, ainda mais quando a própria Microsoft não revela números concretos sobre as vendas do produto até o momento. Resta mesmo esperar o relatório trimestral no começo de 2013. Mas uma coisa é certa: Ballmer esperava um “boom” maior do Surface em seu lançamento. Mas vai ter que se contentar em esperar o tempo passar, e principalmente, os primeiros reviews dos usuários sobre o produto.