Developers, Developers, Developers!

Steve Ballmer, CEO da Microsoft, está mais empolgado do que na época em que disse essas célebres palavras. Tão empolgado que está simplesmente desafiando a principal fabricante de eletrônicos de consumo do mundo. Ela mesma, a Apple.

Durante a Worldwide Partner Conference da Microsoft, o palco do evento se transformou em uma verdadeira base de lançamentos de torpedos, tiros e ataques diretos da empresa de Redmond para e empresa de Cupertino. Uma grande variedade de notícias foram reveladas sobre a sua grande constelação de produtos. Ontem (09/07), a Microsoft anunciou a compra da Perceptive Pixel, e a confirmação do início das vendas do Windows 8 para o final de outubro. Já hoje…

Hoje, Steve Ballmer não mediu palavras para se pronunciar sobre o futuro e objetivos da Microsoft para os próximos anos. Palavras proferidas pelo chefe máximo da empresa: “queremos deixar absolutamente claro que não vamos deixar um espaço par a Apple… Na nuvem, na inovação de hardware ou de software. Não vamos deixar nada disso nas mão sda Apple. Isso não vai acontecer. Não enquanto estamos aqui”.

Questionado sobre a possibilidade da Microsoft lançar o seu próprio smartphone, Ballmer disse que “nesse instante, estamos trabalhando muito duro no Surface. Nossa atenção está centrada nele”. Ou seja, ele deixa claro que a Nokia é o sócio principal da Microsoft no mercado de telefonia, de modo que isso faz com que eles não se preocupem (pelo menos por enquanto) no desenvolvimento em smartphones próprios, tal como faz os seus principais concorrentes (Apple e Samsung).

Sobre o Surface, a Microsoft pensa em comercializar os seus primeiros tablets através de sua página na web e suas lojas oficiais, se bem que nada impede que outras empresas comprem diretamente o produto através da Microsoft.com, e depois, revendam o produto no comércio em geral.

Em muito breve, veremos se essa estratégia vai funcionar, e principalmente, se toda essa iniciativa e atitude são suficientes para derrotar Tim Cook e sua turma. De qualquer forma… a guerra está declarada.

Via CRN