Stephen-Elop-New-01

O (em breve) ex-CEO da Nokia, Stephen Elop, é um dos mais fortes candidatos a assumir o posto de Steve Ballmer na chefia da Microsoft. E esse nome passa a ser cada vez mais evidente na lista de favoritos, não só por conta da proximidade dele com a estrutura corporativa da gigante de Redmond, mas também pelos resultados positivos obtidos nessa fase inicial da parceria Nokia/Microsoft.

Em uma recente entrevista para o Engadget, Elop comentou que não se via como CEO da Microsoft, mas que se vê capaz de liderar essa mudança de diretrizes da empresa, tal como fez com a Nokia. E ele tem alguns pontos para reforçar a sua teoria. Ontem (22), a Nokia apresentou o Lumia 2520, que é, na prática, um concorrente direto do tablet Microsoft Surface 2, e muitos pensam que teremos no futuro uma grande fusão entre Nokia e Microsoft. E na opinião de Elop, não será bem assim que deve funcionar.

Elop insiste que, na realidade, o ecossistema do Windows Phone vai se beneficiar em ter mais opções, e no caso do novo tablet da Nokia, ele chega para conquistar o público que já gosta dos produtos da Nokia e da Microsoft. Além disso, o executivo insiste que o Lumia 2520 está mais focado no fator mobilidade, contando com um modem 4G/LTE integrado.

Outro ponto discutido na entrevista foi a linha de telefones de entrada da Nokia. A série Asha segue nos planos, e Elop acredita que esses modelos são a porta de entrada para alcançar “o próximo bilhão de usuários”, que virão dos países emergentes, como Índia, Indonésia e Paquistão, que passam a receber novos serviços online, como SkyDrive, Bing e Skype. A prova disso é o fato de serviços como o Facebook e o WhatsApp ganharem novos usuários graças aos telefones de entrada da Nokia.

E agora que o Windows Phone recberá a versão oficial do Instagram, Elop admite que esse é um grande passo para ampliar a popularidade e demanda do aplicativo, mas que beneficia muito mais a Nokia, pois a coloca em pé de igualdade com os seus adversários. Completou que ter muitos aplicativos não torna nenhum sistema como um claro vencedor, e lembra que o deisgn dos smartphones da Nokia, assim como os seus serviços baseados em geolocalização e outros elementos diferenciam os seus produtos dos concorrentes.

Por fim, Elop comento que “as grandes mudanças no campo da tecnologia chegam quando há uma mudança no modelo de interação, em como interagimos com os nossos dispositivos”, em uma clara referência ao impacto do Xerox Star nas interfaces de usuário com janelas, e na interface touch introduzida pelo iOS. “Em um determinado momento, esses modelos de interação tomam o poder, e dão lugar a uma nova geração de experiências. E, obviamente, estamos trabalhando nisso como objetivo, e com isso em mente, vamos colher os frutos no futuro”.

Via Engadget