sony-walkman

A Sony segue se reestruturando. Depois se desfazer da VAIO (que voltou como um novo fabricante de notebooks), a Walkman segue os mesmos passos.

Os equipamentos de som portátil da Sony são conhecidos mundialmente, mas hoje é uma das divisões que não gera lucros para os japoneses, que decidiram torná-la independente, depois da renovação interna dos últimos quatro anos. A partir de hoje (01), toda a divisão Walkman dentro da Sony passa a ser uma empresa independente, que vai operar por conta própria.

O movimento pode ser vista por duas perspectivas. A primeira e mais inocente: é uma medida para dar mais liberdade de decisão no futuro. A segunda, e mais negativa: facilitar a sua venda, tal como fizeram com a VAIO.

Todo mundo que é mais veterano no mundo da tecnologia sabe que a marca Walkman é uma das mais midiáticas da Sony. Porém, os tempos mudam, e hoje outras empresas dominam o nicho de som e eletrônica de consumo. Os últimos produtos da marca são interessantes, mas nichados. Muito além dos fones, os equipamentos HiFi não são orientados ao grande público. E isso levanta dúvidas se o futuro da Walkman é a independência ou a venda.

Não é a primeira vez que a Sony faz isso, e todo mundo viu o que aconteceu com a VAIO. Kaz Hirai deixou claro que quer se centrar em poucas áreas de negócio para seguir adiante. Segmentos como o PlayStation vão muito bem, enquanto que a linha Xperia, nem tanto. Mas a fé na divisão móvel ainda existe.

Veremos se os próximos resultados financeiros ajudam a dar um pouco de luz para a Sony, ou se realmente a divisão de áudio está mal a ponto de ser vendida. Por enquanto, não há mais detalhes sobre o assunto.

Via Bloomberg