Sony-Xperia-z

Em recente artigo publicado pelo site da Reuters, a Sony planeja enfrentar de frente os concorrentes chineses no mercado de smartphones. Com planos audaciosos, eles querem alcançar a posição #3 no mercado de smartphones, e para isso, vai contar com a ajuda do Firefox OS.

Desde o fim da joint venture com a Ericsson, a Sony vem trabalhando de forma árdua no lançamento de novos dispositivos móveis, e vem apresentando produtos realmente interessantes, como é o caso do Sony Xperia Z (foto). Agora, eles querem ir além, acreditando que estamos diante de um novo momento de mudança no mercado mobile, onde os fabricantes terão que evoluir e se adaptar a outros mercados, como é o caso do mercado asiático.

Um ponto de interrogação nessa estratégia da Sony é que ainda não vimos os modelos de acesso da empresa. Tudo bem os primeiros modelos Xperia eram mais “modestos”, mas não são modelos para bolsos menos favorecidos. Se a Sony pretende brigar pelos mercados emergentes, precisam pensar em produtos com valores menos onerosos. Até porque é exatamente isso que fabricantes menores fazem na região.

A Sony assumiu a quarta posição entre as maiores fabricantes do mercado de dispositivos móveis no final de 2012 (segundo analistas de mercado), ficando atrás de Samsung, Apple e Huawei (nessa ordem). É bom lembrar que esse posicionamento é válido apenas para o último trimestre do ano passado, pois nos trimestres anteriores, essa terceira posição ainda era ocupada pela Nokia.

O mais curioso é que a Sony parece mesmo querer trabalhar com duas frentes: smartphones “top” com Android, e modelos de entrada com o Firefox OS. Os modelos com o sistema do Google já são razoavelmente conhecidos, mas o sistema da Mozilla parece ser mais uma grande aposta, pelo menos por enquanto. O que pode atenuar a decisão da Sony é que outros fabricantes também estão escolhendo o Firefox OS como opção alternativa para seus produtos.

Além disso, a decisão da Sony e dos demais fabricantes em investir nos mercados emergentes é algo bem coerente, uma vez que essa faixa de usuários representam hoje aproximadamente 80% do mercado mobile mundial. É um mercado em potencial que todo fabricante quer explorar.