snowden-software-livre

“O que aconteceu em 2013 não teria sido possível sem o software livre”, garante Edward Snowden sobre as revelações que expuseram os programas de espionagem da NSA, que resultaram em um dos maiores escândalos da atualidade.

O ex-funcionário da CIA e NSA, em videoconferência direto da Rússia onde se encontra refugiado, participou do evento LibrePlanet 2016, programado pela Fundação para o Software Livre, e deixou informações interessantes sobre seus vazamentos. Snowden indicou sua preferência pelo software de código aberto, usando Tor, Tails e Debian. Programas que, na sua opinião, ajudaram os usuários a assumir o controle de sua privacidade e segurança.

Também explica que não utilizou softwares da Microsoft, já que “não poderia estar seguro” que não haveria portas traseiras integradas. Snowden apoia a Apple por sua postura conta o FBI, mas afirma que as empresas de tecnologia, de um modo geral, não estavam fazendo o suficiente para garantir a privacidade dos usuários, e coloca como exemplo a “boa disposição” de muitas das gigantes da tecnologia em entregar os dados para o governo.

Snowden considerou vital a manutenção da criptografia, mas também é preciso ter programas para corrigir rapidamente as vulnerabilidades, o meio mais utilizado para ataques contra a segurança e privacidade.

Snowden tem uma permissão de residência de três anos na Rússia e solicitou asilo político em vários países. Os Estados Unidos o acusa de espionar e publicar documentos classificados como confidenciais sobre vários programas da NSA, incluindo os de vigilância massiva PRISM, que contempla o acesso aos servidores centrais de nove grandes empresas norte-americanas: Microsoft Corp, Yahoo Inc, Google Inc, Facebook Inc, PalTalk, AOL Inc, Skype, YouTube e Apple Inc.

Via LibrePlanet 2016