Windows-10

Alguns sites de torrents estão banindo usuários de computadores com o Windows 10 instalado, bloqueando o acesso por questões de privacidade. Não são os grandes buscadores públicos de arquivos, mas sim os sites privados.

No contrato do serviço do Windows 10, a Microsoft coleta os dados e o uso de informação pessoal do usuário, o que além de gerar uma polêmica grande, abriu a possibilidade de ‘desativar jogos piratas’ por conta de um parágrafo de acordo de licença.

A resposta dos trackers privados foi bloqear o Windows 10. O iTs foi o primeiro, e alerta os seus usuários com um vídeo onde garantem que ‘o Windows 10 é uma ferramenta para espionar tudo o que você faz’. Comentam ainda que a Microsoft trabalha diretamente com a MarkMonitor, uma empresa anti-pirataria conhecida por trabalhar com o órgão dos EUA que protege os direitos autorais.

Entre outras coisas, o Windows 10 estaria enviando o conteúdo dos discos locais diretamente para um dos seus servidores, sendo assim uma séria ameaça aos sites de torrent, o que resultou em algumas medidas preventivas.

O bloqueio dos usuários com Windows 10 é feito através de um redirecionamento ao vídeo em questão, onde o iTs explica a sua postura. Outros dois grandes sites de torrent privado, FSC e BB, também informaram que pensam em fazer o mesmo.

Sendo paranoia ou realidade, já discutimos essa questão por diversas vezes. Vale lembrar que a Microsoft trabalha há anos com a MarkMonitor, e que sua parceria não depende do uso do sistema operacional, e que a política de privacidade do Windows 10 é similar ao que temos hoje em redes sociais como o Facebook, ou em um smartphone com Android.

Na era da conectividade total, não existe mais o 100% de privacidade. Ou existe, mas está muito longe do uso de um computador Windows ou mesmo da Internet, incluindo as redes torrent. Mas isso não quer dizer que a Microsoft não deva garantir que as questões de privacidade dos seus clientes sejam esclarecidas, tanto na coleta de dados como na forma que eles serão tratados.