smartphone

 

Um estudo realizado por cientistas e investigadores da Universidade do Texas em Austin (EUA) concluiu que o simples fato de ter um smartphone próximo a nós é mais que suficiente para que se reduza o potencial de nosso cérebro.

Os encarregados pelo projeto contaram com a participação de 800 usuários de smartphones. A ideia era quantificar em unidades de tempo de forma muito realista, onde cada um deles demorava mais para realizar uma tarefa quando tinha o telefone por perto.

Basicamente eles mediram o tempo que cada participante do estudo levava em realizar uma tarefa específica quando o smartphone estava perto deles. E os resultados foram muito interessantes e esclarecedores.

Um dos testes pedia que o usuário se sentasse diante de um computador, realizando uma série de atividades que exigiam máxima atenção. Não eram testes muito complexos, mas suficientes para os cientistas poderem medir dados como a capacidade de cada um dos participantes para conter e processar dados, testando assim a capacidade cognitiva dos usuários.

 

 

Os pesquisadores criaram diferentes testes modelo que deveriam ser realizados pelos usuários com o smartphone por perto ou sem ter o aparelho em vista.

Antes do início de cada teste, os participantes receberam ordens diferentes sobre como ele deveria colocar os seus dispositivos. Alguns precisavam deixar o telefone bem na sua frente, enquanto que outros precisavam deixá-lo sobre a mesa, mas com a ela para cima. Já outros precisaram colocar o telefone no bolso, deixando em modo Não Perturbe, e outros deixam o dispositivo no silencioso.

Os resultados foram muito claros: todos os usuários que não estavam com o seu smartphone consigo superavam com larga vantagem os demais na pontuação obtida.

Abaixo disso, temos as pessoas que guardam o smartphone no bolso, com uma pontuação bem inferior, e na última posição, os usuários que deixavam o dispositivo sobre a mesa. Os resultados sugerem que tanto a capacidade cognitiva de uma pessoa como o funcionamento cognitivo se reduzem consideravelmente com a mera presença do smartphone sobre a mesma.