samsung-galaxy-s6-edge

Enquanto o iPhone 6s concentra as atenções, a Samsung trabalha no Galaxy S7, que pode ser apresentado em janeiro de 2016, de acordo com as últimas informações. Os coreanos tentam dar um passo adiante, consolidando o bom trabalho realizado com o Galaxy S6, e esse post lista as sete novidades que queremos ver no futuro smartphone top de linha.

 

Novo chassi totalmente metálico

No Galaxy S6, a Samsung combinou uma borda metálica com partes de plástico e cristal. No Galaxy S7, tudo indica que veremos um novo chassi unibody (provavelmente combinando alumínio e magnésio), mais resistente e leve, e que devolva as condições de resistência à água e poeira do Galaxy S5.

Sobre a tela curva, algumas fontes sugerem que veremos apenas um modelo Edge (eliminando assim o modelo tradicional), e que suas bordas teriam mais funções funcionais, indo além das vantagens estéticas.

 

Novo processador e mais RAM

A Samsung se caracteriza por oferecer smartphones com especificações técnicas sobressalentes, e o Galaxy S7 não será uma exceção. É esperado o novo processador Exynos 8890 octa-core, com fabricação de 14 nanômetros e 2.3 GHz de clock. Trabalharia em conjunto com 4 GB de RAM e 32 GB de armazenamento na versão básica.

Ainda que alguns veículos garantam a volta do slot microSD, isso não deve acontecer. A aposta da Samsung não tem volta, e cada vez mais veremos os demais fabricantes deixando de lado essa funcionalidade.

 

Tela de 5.7 polegadas

note-5-240x450

As telas grandes triunfaram, e é de se esperar que os phablets se consolidem como padrão no mercado mobile. O Galaxy S7 viria com uma tela de 5.7 polegadas, similar ao do Galaxy Note 5 no tamanho, acompanhada de uma redução nas bordas superior e inferior, para evitar um tamanho excessivo. A resolução de tela deve ser mantida.

 

A estreia do 3D Touch da Samsung

Ainda que a Apple se antecipou a (quase) todos (Huawei Mate S manda beijos), isso não é motivo para os demais ficarem assistindo. Samsung, Sony ou LG já trabalham em telas capazes de detectar diferentes níveis de pressão, e a Samsung fatalmente vai aproveitar a base tecnológica do Galaxy Note e sua stylus para oferecer um sistema similar ao do iPhone 6s. O problema é que inicialmente ele só seria compatível com a TouchWiz e apps próprios, e não com todo o ecossistema de aplicativos Android.

 

O salto para o USB Type-C

A Samsung aposta no USB Type-C, porta de última geração com conexão reversível e capacidade para transmissão de sinais de dados, vídeo, áudio ou energia. É uma das tendências de toda a indústria para o futuro.

 

Uma câmera ainda melhor

O Galaxy S6 possui uma câmera espetacular. No Galaxy S7, a Samsung deve utilizar a tecnologia ISOCELL para reduzir o tamanho dos pixels do sensor, alcançando os 16 MP de resolução. Além de oferecer imagens mais nítidas, esse será um sensor 20% mais fino, o que pode resultar em uma redução da espessura total do smartphone. Também é mais que provável que a câmera frontal também receba melhorias.

 

Um Android mais limpo

A estratégia da Samsung no software mudou com o Galaxy S5, e teve mudanças mais sensíveis no Galaxy S6, que conta com uma mínima capa de personalização de interface, além da possibilidade de instalar apenas os aplicativos considerados necessários. No Galaxy S7, eles devem dar um passo além, com o Android 6.0 Marshmallow com uma TouchWiz mais leve e personalizável. O objetivo final é uma experiência de fluidez e velocidade a altura do hardware presente no dispositivo.