O Face ID segue dando o que falar. O novo sistema de reconhecimento facial do iPhone X foi questionado por Edward Snowden, e agora o senador norte-americano Al Franken enviou uma carta para Tim Cook, com vários questionamento sobre esta tecnologia.

Três perguntas são cruciais para o senador: como vai funcionar o Face ID, como a Apple vai manter essa tecnologia segura, e o que acontecerá se uma autoridade exigir o acesso ao dispositivo através de uma ordem judicial.

Essas três perguntas resultam em várias outras. Por exemplo, em outras oportunidades se demonstrou que “esses sistemas” contam com uma margem de erro muito elevada com usuários negros, com o acesso podendo ser violado com uma simples foto.

O senador reforça que digitais e o rosto são elementos permanentes, que identificam o usuário, diferente de uma simples senha. A Apple terá que responder em como esses dados armazenados no dispositivo estariam seguros diante de uma tentativa em acessá-los.

Franken também pede que se ofereça informações necessárias para os usuários, para garantir que os dados do Face ID não serão vendidos para terceiros com fins publicitários. Isso vale para os dados do dono do dispositivo como fotos capturadas de outras pessoas, captadas pelo modo “Sempre ligado”.

No total, 10 perguntas foram feitas para Tim Cook, que terão que ser respondidas antes de 13 de outubro. Franken também menciona os possíveis usos derivados do Face ID, diferentes daqueles que inicialmente foram concebidos para esta tecnologia, algo que foi citado antes por Snowden em suas recentes declarações.

 

Via Al Franken