snapchat

 

Essa não é uma provocação. É um fato! O Snapchat não cresce mais por culpa do próprio Snapchat.

A Snap Inc. chegou na Bolsa de Valores de Wall Street e se valorizou 44% de forma automática, mas receitas abaixo do esperado desestimularam suas ações.

O Snapchat tem hoje 166 milhões de usuários diários, apenas cinco milhões a mais do que no trimestre anterior, ficando atrás do uso do Stories do Instagram, que estreou em agosto de 2016.

O pior de tudo é que a Snap Inc. não se vê como culpada, empurrando o problema para as ruins conexões de internet em determinados países e smartphones ruins como motivos para o lastro do seu crescimento.

Como se os outros não passassem pelos mesmos problemas.

Não seria o produto Snapchat que não é desenvolvido para um sucesso maior?

 

Em 2013, o Facebook ofereceu 3 bilhões de euros para comprar o aplicativo favorito da geração millenial, e a oferta foi recusada. Então, Mark Zuckerberg decidiu copiar na cara dura tudo de bom que esse aplicativo tem.

E não só no Instagram, mas também no Facebook Messenger e no WhatsApp.

Resultado: o Stories do Instagram (que estreou em agosto de 2016) já conta com 200 milhões de usuários diários, e o novo Status do WhatsApp (que estreou em fevereiro de 2017) possui 175 milhões de usuários.

Contra os 166 milhões do Snapchat hoje.

E a Snap Inc. ainda não é capaz de fazer uma autocrítica sobre o tema.

 

 

A grande maioria dos novos usuários trimestrais do aplicativo vieram dos Estados Unidos e da Europa. No resto do mundo, ele não cresce.

De fato, o Snapchat tem mais usuários no iOS, Mesmo assim,a desculpa de que ele precisa de uma conexão de maior qualidade que o app do Facebook não cola: o app da rede social do Zuck é um devorador monstro de dados, e ainda assim é um dos mais usados do planeta.

 

 

Fato é que falta à Snap Inc. dedicar mais recursos ao desenvolvimento do aplicativo, procurando maneiras do mesmo funcionar em redes mais lentas ou smartphones menos potentes. Quem sabe compactando fotos e vídeos antes de serem enviados.

E esse ainda não é o maior problema do serviço.

O grande problema é que a maioria dos usuários instala um monte de aplicativos no smartphone, mas usa muito poucos, que oferecem várias funcionalidades.

O Snapchat é bem limitado, e tem praticamente um propósito: compartilhar momentos de forma efêmera. Sem falar que, em parte, seus usuários só o utilizam para aplicar filtros e máscaras específicas em fotos e vídeos… que depois vão parar no Instagram! Filtros não dão mais medo aos concorrentes. Fato.

Resumindo: o problema é do produto. O produto precisa evoluir, oferecendo novas funcionalidades e soluções para os problemas alegados.

Caso contrário, está com os dias contados.