29-de-fevereiro

Hoje não é um dia qualquer. Hoje é dia 29 de fevereiro, data que só se repete em nosso calendário a cada quatro anos. Também conhecido como ‘ano bissexto’.

Isso aconteceu porque Julio Cesar, no ano 46 a.C., por mediação de Cleópatra, consultou astrônomos egípcios em Alexandria, e estabeleceu um dia extra no mês de fevereiro, entre os dias 23 e 24. Já o Papa Gregório XIII, artífice do calendário gregoriano, realizou posteriormente a modificação do dia para o final do citado mês.

O dia extra existe para corrigir a defasagem que existe entre o ano solar e o trópico – o tempo que leva para a Terra dar uma volta completa em torno do Sol -, que tem uma duração de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 45,25 segundos (ou 365,242190402 dias), enquanto que o ano do calendário gregoriano possui 356 dias exatos.

Mas… se não existisse o tal ano bissexto… em qual ano estaríamos?

tropico-terra-sol

O Los Angeles Times fez os cálculos, e revela que, sem os anos bissextos (nesse exato momento), estaríamos no dia 15 de julho de 2017, levando em consideração que tal ano foi adicionado pelo líder romano.

Muitas foram as propostas ao longo da história para tentar estabelecer um calendário único para a sociedade. Indo de semanas de 10 dias a anos com 13 meses, cada um deles com apenas 28 dias. E estes são apenas exemplos das ideias pensadas em diversos países em outras épocas.

Outro exemplo: caso você não sabe, o nosso atual sistema de cronometragem não segue os movimentos do nosso planeta ao redor do sol. É baseado no relógio atômico, utilizado por computadores que contam as oscilações do átomo de césio, algo muito mais preciso e complexo.

Via Los Angeles Times