TrueNorth

A Samsung está utilizando o processador TrueNort da IBM, que é baseado na estrutura do cérebro humano, para alimentar o seu Dynamic Vision Sensor, um sensor fotográfico que funciona de forma parecida com a retina humana.

O TrueNorth tem 4096 núcleos neuro-sinápticos, e 5.4 bilhões de transistores, em uma estrutura similar ao modelo neural. Tudo isso com um consumo energético de apenas 0,0063 watts, uma fração do que consome os processadores atuais.

O resultado alcançado pela Samsung é considerado espetacular, com uma câmera que processa imagens digitais em elevadíssima velocidade, gravando vídeos a 2.000 frames por segundo.

 

Grande velocidade com o mínimo consumo

De um modo geral, as câmeras digitais convencionais gravam em, no máximo, 120 FPS. O Dynamic Vision Sensor da Samsung é perfeito para a criação de mapas em três dimensões, melhorar sistemas de reconhecimento de gestos ou para uso em carros autônomos para detectar melhor os perigos externos.

O sistema da Samsung consome apenas 300 miliwatts, ou uma centésima parte do que consome um notebook convencional, e uma décima parte do que consome um processador de smartphone. Nos testes, a Samsung demonstrou como o sensor também é útil como controle remoto para a TV, reconhecendo os movimentos dos dedos a três metros de distância.

A Samsung está muito satisfeita com os primeiros resultados com o TrueNorth, e esperam ser capazes de entregar ainda mais potência. Já a IBM segue buscando novos parceiros para os seus chips “cerebrais”. Certamente vamos voltar a falar dessa tecnologia em breve.

Via CNET