tizen-os.jpg

Para quem achava que o Tizen estava morto… leia esse post com atenção.

É possível que a Samsung tenha chegado onde chegou graças ao Android, mas não se engane: uma coisa é estar satisfeita com os resultados, e outra (muito diferente) é ficar satisfeita por depender de outras empresas. Hoje, ter um Android sem os serviços da Google é o mesmo que não ter nada, e uma vez que a Samsung parece preferir não ter nada a estar presa às atualizações de Larry Page e sua turma, eles pensam de forma consistente em adotar o Tizen, e não é de hoje.

O que ninguém sabia é que eles pretendem expandir o Tizen para segmentos de mercado que até então não eram mencionados.

Segundo declarou o co-CEO da Samsung Electronics e responsável pelas divisões de tecnologia da informação e telefonia móvel da empresa, J.K. Shin, o Tizen é muito mais que um simples passatempo para a sua empresa, ou uma alternativa de nicho para o Android. O novo sistema operacional, que é uma espécie de “herdeiro” do Bada, foi pensado para funcionar em dispositivos que vão além dos smartphones, como por exemplo, em automóveis e caixas eletrônicos.

Palavras de J.K. Shin:

As convergências entre gadgets de TI são numerosas, incluindo smartphones, tablets, PCs e câmeras, mas também em diferentes segmentos de indústria, como os automóveis, a biotecnologia e agências bancárias. A convergência cruzada (de produtos) é uma área onde a Samsung pode fazer um bom trabalho, uma vez que temos muitos produtos e componentes finalizados.

A Samsung, sendo um dos maiores conglomerados industriais do mundo, com interesses que vão desde a tecnologia móvel até a construção de tanques de guerra, poderia tirar proveito de uma plataforma mais maleável que o Android, e conquistar assim um número maior de clientes.

Por outro lado, a Intel parece estar muito interessada nas possibilidades do Tizen trabalhando com os seus novos processadores de baixo consumo, mas não devemos esperar grandes surpresas a curto prazo. Segundo informa o site CNET, fontes internas da Samsung indicam que o Tizen para automóveis não chegará ao mercado até 2015, pelo menos. Imaginamos que os carros da Renault poderiam ser alguns dos primeiros a se beneficiarem do Tizen, uma vez que a Samsung é dona de 20% da Renault-Samsung Motors, a filial sul-coreana da montadora francesa.

Via CNET