650_1000_samsung_edsap

A Samsung apresentou um novo wearable equipado com sensores craniais, que busca prevenir e detectar as etapas iniciais de risco de derrames cerebrais.

A Samsung possui um departamento chamado Creativity Lab (ou C-Lab), onde qualquer trabalhador da empresa pode apresentar ideias que podem se transformar em realidade no futuro, assim como apareceu o EDSAP (Early Detection Sensor & Algorithm Package), dispositivo criado por cinco engenheiros das áreas de mobilidade e lavadores, e que pode se tornar uma realidade em breve.

O dispositivo é composto por duas partes: uma espécie de capacete com sensores, e um aplicativo para smartphone. O capacete monitora a atividade cerebral por impulsos elétricos, e toda essa informação fica sincronizada com o aplicativo que possui o algoritmo que vai analisar essas atividades, e determinar a possibilidade de um derrame acontecer, com 60 segundos de antecedência. Nesse tempo, a pessoa é capaz de avisar um familiar ou amigo, ou tomar as medidas pertinentes para prevenir o evento.

derrame_cerebral

Uma das vantagens do dispositivo é que ele é feito de plástico flexível, e não precisa de nenhuma substância para canalizar a informação dos sensores. Basta colocar na cabeça e ele começa a funcionar imediatamente. Além disso, os seus criadores estão confiantes que tais sensores poderão ser incorporados em óculos no futuro, dispensando assim o uso constante dos capacetes.

Além de alertar sobre um possível derrame cerebral, o EDSAP também é capaz de medir padrões do sono e estresse, além do ritmo cardíaco, e como isso ter um panorama mais amplo do paciente, oferecendo assim o tratamento adequado.

EDSAP é apenas um protótipo, mas nos próximos dias começam os testes em pessoas. Depois disso, se tudo der certo, acontecem os testes clínicos e certificações pelos departamentos de saúde e governos envolvidos para que um produto final apareça em 2016.

Via Samsung