Apesar da Samsung poder se sentir um pouco mais otimista sobre o futuro do Galaxy Tab 10.1 nos Estados Unidos, depois que a Justiça do país permitiu que o Galaxy Nexus continuasse sendo comercializado de forma temporária, e das acusações no Reino Unido serem retiradas contra o tablet, a realidade não é bem essa. Na terra do baseball, o tablet da empresa sul-coreana vai continuar longe das prateleiras.

A juíza Koh (a melhor amiga dos advogados da Samsung nos EUA), a mesma que decretou o bloqueio inicial das vendas, informou que as medidas para evitar a venda do Galaxy Tab nos Estados Unidos não podem ser retardadas enquanto a Samsung prepara a sua apelação, de forma que o produto segue longe das prateleiras do país, por enquanto.

O motivo? Você já sabe: a Apple afirma que Galaxy Tab viola a sua propriedade intelectual ao copiar descaradamente o design do iPad, e ainda que isso não seja provado legalmente, a juíza Koh acredita que a semelhança entre ambos é tão elevada que as vendas do Galaxy Tab estariam causando “danos importantes e irreparáveis” à Apple.

Para a Samsung, só restam duas alternativas: ou espera pelo julgamento do dia 30 de julho e tenta convencer a irredutível juíza Koh (e os demais membros do juri presentes) que o Galaxy Tab não é uma cópia do iPad, ou devolve o produto para a prancheta de design, para modificar a sua aparência visual, e assim, comercializá-lo nos Estados Unidos. Eles tiveram que fazer isso na Alemanha para resolver o problema.

Via The Register