650_1000_samsung_galaxy_s5

A Sasmsung divulgou os resultados financeiros relativos ao segundo trimestre de 2014 (encerrado em junho), e o sinal amarelo está oficialmente ligado. Além dos números e da confirmação de novas quedas, algumas explicações foram dadas.

As vendas alcançaram a marca de US$ 51.4 bilhões, com lucros de US$ 7.1 bilhões. Os dois itens ficaram abaixo daqueles registrados no trimestre anterior, e abaixo do que foi registrado no mesmo período em 2013 (US$ 9.4 bilhões). Os analistas estimavam um número próximo aos US$ 8.5 bilhões de lucros.

 

Desaceleração na Europa e China

A Samsung culpa o fato do won (moeda chinesa) estar nesse momento passando por um período de moeda forte, prejudicando assim as exportações. Também foi identificada uma queda de demanda na Europa e na China, além de uma velocidade de vendas mais lenta no mercado de tablets. De fato, os últimos resultados da Gartner confirmam isso.

A Samsung também destaca que o ciclo de substituição dos tablets é superior ao dos smartphones, passando com facilidade a marca de dois ou três anos. A oferta de smartphones com telas grandes (5 ou 6 polegadas) ajudou a equilibrar a demanda de tablets, e em alguns mercados, é mais rentável ter um phablet do que comprar um smartphone e um tablet.

O mercado chinês pode se transformar em breve em uma grande dor de cabeça para a Samsung, com competidores como Xiaomi, Huawei e Lenovo crescendo rapidamente, e com produtos muito competitivos. Em escala global, LG e Apple se apresentam como as empresas que mais podem roubar cotas de mercado dos coreanos.

O principal produto da Samsung segue sendo o Galaxy S5, que é um campeão de vendas desde o lançamento. Espera-se que ele comece a perder força a partir desse trimestre (terceiro trimestre de 2014), passando dos 17 milhões de unidades distribuídas estimados para o segundo trimestre para apenas 6 milhões de unidades.

A Samsung sempre se destacou por oferecer um catálogo muito saturado de produtos, mas a melhor coisa que eles podem fazer é reduzir esse portfólio, ficando com os modelos que são considerados estritamente necessários.

 

Melhores perspectivas para o próximo trimestre

Sobre o terceiro trimestre de 2014, a Samsung acredita que a chegada de novos smartphones deve ajudar a melhorar a situação. Aqui, podemos ver o Samsung Galaxy F e o Galaxy Note 4, e os coreanos prometem não realizar um gasto no marketing maior do que o previamente planejado. A estimativas de vendas da empresa giram em torno de 78 milhões de unidades no segundo trimestre (no primeiro, foi de 85 milhões).

Dominante por anos no segmento mobile, a Samsung começa a sofrer os efeitos da dura concorrência. Manter-se como o líder no segmento de entrada e de linha média vai ser uma tarefa cada vez mais complicada.

 

Um aviso aos seus funcionários

Em uma nota assinada pelo vice-presidente e CEO, Kwon Oh-hyun e Yoon Boo-keun, um recado foi endereçado aos funcionários da Samsung. Avisam que o crescimento do departamento de televisores e smartphones está desacelerando, e há a necessidade de realizar um maior controle sobre a gestão, além de uma revisão completa no estilo de trabalho.

Traduzindo: cabeças podem rolar.

Via Samsung