samsung galaxy s7

 

O iFixit publicou uma lista dos smartphones mais fáceis e mais difíceis de serem reparados. E o Samsung Galaxy S7 foi eleito o mais complicado, por conta do uso do cristal em sua carcaça.

 

 

Design não combina com facilidade de reparação

 

 

Na hora de avaliar o grau de reparação de um smartphone, os materiais utilizados na sua construção e o tipo de selagem possuem grande influência.

Por isso, os modelos Galaxy S7 e Galaxy S7 Edhe levaram as piores notas do ano pelo iFixit.

Logo de cara, os tops de linha da Samsung não contam com parafusos na parte externa, obrigando a apelar para a força bruta para remover a tampa traseira, que por sua vez não oferece acesso direto aos componentes.

Não só isso. Substituir a porta de recarga ou a tela também são operações complicadas, que podem implicar em um alto custo.

Para reparar o conector USB, é preciso remover a tela LCD e provavelmente trocá-la, e esta é uma das peças mais caras. O mesmo acontece se você quebrar o cristal da tela.

Resultado: notas 3 e 4 em 10 para o S7 e o S7 Edge, respectivamente.

 

 

LG G5, o mais fácil de ser consertado

 

 

Antes, é bom lembrar que o iPhone SE ficou “em terra de ninguém”, com um 6 em 10, já que a troca de tela é simples, mas também é fácil de danificar o cabo do TouchID, obrigando o uso de uma ferramenta especial para tirar os parafusos externos.

Os mais fáceis de serem reparados na tabela do iFixit são o iPhone 7 e 7 Plus e os novos Google Pixel e Pixel XL, todos eles com nota 7 em 10.

Mas o LG G5 é o mais fácil de todos, com 8 em 10. A facilidade vem da possibilidade de poder remover a bateria de forma simples, ou o uso de poucos parafusos e escassa presença de adesivos.

O iFixit não desmontou todos os smartphones lançados no mercado em 2016, mas sim os melhores smartphones de cada marca. Seu ranking nos dá uma ideia do que podemos enfrentar diante das necessidades de uma reparação.

A conclusão é bem simples: quanto menso parafusos vemos na parte externa de um smartphone, mais difícil ele será de ser consertado. E a modularidade é de grande ajuda nesse aspecto.

 

Via iFixit