galaxy-s7-final-02

A Samsung anunciou durante o seu evento Samsung Unpacked 2016 (que antecipou o início da MWC 2016) os seus novos e esperados smartphones top de linha, o Galaxy S7 e o Galaxy S7 Edge.

O trabalho deixado pela geração anterior foi muito bom, de modo que a Samsung decidiu manter a mesma aposta básica. Os novos smartphones recebem melhorias diversas de hardware, mostrando que o #TheNextGalaxy tem tudo para ser um dos melhores de 2016 no seu segmento.

A Samsung propões três pilares básicos para o Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge: design, câmera e desempenho nos jogos. De modo que nos centraremos nesses três pontos para mostrar as novidades desses smartphones.

 

Design

galaxy-s7-final-04

O novo Galaxy S7 mantém o design seamless da geração anterior, com uma borda metálica minimalista e vidro nos dois lados, sendo assim tão bonito ou melhor do que antes. O modelo mantém a sua tela plana, mas incorporou pequenas bordas curvadas, se aproximando do design do Galaxy Note 5, mas com uma tela de 5.1 polegadas. Já o Galaxy S7 Edge mantém a tela curva de 5.5 polegadas.

Além da tela, os modelos se diferenciam na bateria, com 3.000 mAh e 3.600 mAh respectivamente, capacidade que é um salto bem significativo em relação às versões anteriores. Resta ver como será o desempenho das mesmas com a nova função Always-on Display, que permite ter a informação sempre visível na tela, até mesmo quando o telefone está bloqueado ou desligado. A tecnologia Super AMOLED permite o controle pixel a pixel, reduzindo assim o impacto do consumo de bateria.

Pequenas mudanças no design foram adotadas. O cristal frontal oferece um acabamento nas dobradiças muito parecido ao do vidro 2.5D, oferecendo um tato milimetricamente mais agradável que o da versão anterior, com uma aparência mais arredondada e uma melhor fusão entre o cristal e a dobradiça metálica.

Mas se tem algo que chama a atenção é a presença da certificação IP68, uma das ausências mais sentidas do Galaxy S6, e que no Galaxy S7 chega para a alegria de muitos, uma vez que elimina os problemas na hora de molhar o smartphone ou submergí-lo na água para vídeos aquáticos. Todos os seus conectores são resistentes à água e dispensando capas de proteção, o que fatalmente obrigou o uso de uma porta micro USB no lugar de uma USB Type C.

 

Câmera

galaxy-s7-final-03

A câmera do Galaxy S6 foi muito elogiada, e a Samsung quis torná-la ainda melhor. Mesmo com um sensor menor (de 12 MP), o tamanho dos pixels aumentaram para 1.4 micrômetros (similar ao sensor UltraPixel da HTC, mas menores do que o do Nexus 6P, com 1.55 micrômetros), podendo assim capturar muito mais luz por pixel.

Sua ótica consegue se abrir até f/1.7, e essa câmera é capaz de capturar 20% a mais de luz, sendo 95% mais luminosa que a geração anterior. As mudanças mostram o desejo claro de melhorar a captura de fotos a noite. Não é necessário melhorar o desempenho durante o dia, de modo que as mudanças se centram nas melhorias de desempenho em condições de luz desfavoráveis.

Também sobrou tempo e espaço para melhorar o sensor, que é capaz de focar em 100% de sua superfície com a ajuda da detecção por fase, conseguindo um tempo de foco impressionante.

Além de luzes, também há sombras. O novo sensor tem formato padrão 4:3, onde as fotos com resolução máxima terão que ser quadradas, e para aqueles que querem fotos no formato 16:9 terão que baixar a resolução para até 9.1 MP, mas tudo isso mantendo a mesma proporção.

9 MP são mais que suficientes para imprimir uma foto com excelente qualidade, e se o detalhe das imagens é o que eles garantem oferecer, teremos mais que suficiente nessa câmera. De qualquer forma, é uma redução de quase 50%, e não sabemos o motivo para a Samsung escolher o formato 4:3. Se limitam a dizer que “é uma questão de gosto”, o que está certo. Porém, é estranho trocar um pelo outro sem razão alguma.

 

Games

galaxy-s7-final-10

A Samsung decidiu adotar o setor gamer para falar do desempenho dos novos Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge, apresentando ambos como os smartphones perfeitos para os jogos de alto desempenho, muito em parte pela sua capacidade de processamento vinda do processador Exynos 8890 octa-core (quatro de 2.3 GHz, e outros quatro de 1.6 GHz), mas com alto nível de otimização.

O processador conta com um sistema de refrigeração líquida, já visto em modelos como o Lumia 950, que teoricamente manterá o smartphone “frio” até em tarefas que exigem mais trabalho do processador. O Galaxy S6 sofria de alguns excessos de temperatura que eram perceptíveis na sua parte traseira. veremos se o Galaxy S7 corrigiu isso.

Além disso, um aplicativo chamado Game Launcher permite a execução de jogos personalizando o desempenho dos mesmos, otimizando a gosto do usuário a execução dos jogos, ajustando o frame rate e a qualidade da imagem. É possível reduzir a taxa de imagens para 30 fps, reduzir a resolução ou aplicar os dois ajustes do mesmo tempo para economizar bateria.

A Game Launcher também inclui a função Game Tools, que insere um menu sobre a tela com diferentes ajustes para jogos. A ferramenta pode bloquear as notificações na tela, desativar os botões touch do smartphone, minimizar o jogo, realizar uma captura de tela e gravar o que estamos vendo na tela com uma pequena janela que mostra o usuário na câmera frontal.

A CPU do Galaxy S7 é 30% superior ao do Galaxy S6, e sua GPU é 64% mais potente. Mas números são frios, e apenas a experiência de uso podem dizer se esses números se justificam.

O Galaxy S7 tem preço sugerido de US$ 699, enquanto que o Galaxy S7 Edge custará US$ 799, ambos os valores na versão com 32 GB de armazenamento. O modelo começa a ser comercializado nos mercados internacionais em 11 de março.

Mais imagens a seguir.

galaxy-s7-final-07 galaxy-s7-final-01 galaxy-s7-final-05 galaxy-s7-final-06 galaxy-s7-final-08 galaxy-s7-final-09