650_1000_650_1000_s6-24

A Samsung publicou em sua página na internet (provavelmente por um erro) que o nível de radiação – Specific Abosrption Rate (SAR) – do seu futuro Galaxy S6 Edge será consideravelmente menor que aquele detectado em seus concorrentes na categoria.

A notícia é bem vinda. É excelente saber que o nível de emissão de radiação dos novos smartphones será cada vez menor. Ou seja, a Samsung não está pensando apenas na inclusão de mais núcleos nas suas SoCs ou telas com elevadas resoluções, mas também pensa em recursos que cuidam da saúde do usuário.

Ainda que os dados oficiais do smartphone não foram revelados, sabemos que os modelos SM-G925F e SM-G925FQ contarão com um SAR de 0.306 W/Kg, um valor muito abaixo dos 1.6 W/Kg estipulados como valor máximo pela Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC).

Apesar de nenhum estudo científico ‘sério’ demonstrar que a radiação emitida pelos smartphones seja algo prejudicial à nossa saúde, é óbvio que todos preferem que seja a mais baixa possível. O SAR é capaz de indicar quanta energia de radiofrequência absorve nosso corpo enquanto utilizamos o smartphone.

Os números indicados pelos fabricantes normalmente são superiores às reais, poque normalmente os smartphones não precisam utilizar a sua potência máxima para acessar as redes. De fato, utilizam a mínima possível. Em todo caso, quanto menor esse número for, melhor. E tudo indica que o iminente Samsung Galaxy S6 Edhe terá um valor de SAR realmente muito baixo.

Via Samsung