Nós sabíamos que ele estava chegando, e hoje, ele se tornou oficial. A Samsung apresentou ao mundo a segunda geração do Galaxy Note na forma de tablet, o Samsung Galaxy Note 10.1. O modelo vai iniciar uma nova bandeira no formato de tablets da empresa, combinando os elementos de sucesso do já popular Galaxy S III e do Galaxy Note original, de 5.3 polegadas, apresentando um produto completamente novo.

No começo desse mês, a Samsung reapresentou o seu tablet Note 10.1, depois de alguns atrasos para melhorias no hardware. Quando ele foi visto pela primeira vez durante a Mobile World Congress, a fabricante sul-coreana optou por apresentar um modelo que era apenas uma maquete do produto, mas já tinha revelado algumas de suas especificações técnicas. Na época, a Samsung informou que o produto contaria com o seu processador Exynos quad-core de 1.4 GHz, 2 GB de RAM, e versões com armazenamento que iriam de 16 até 64 GB.

Hoje, no seu lançamento, a fabricante confirma que o Galaxy Note 10.1 estará disponível nas versões de 16, 32 e 64 GB, suporte para portas microSD para armazenamento externo, e variantes com WiFi e WiFi + 4G/LTE (a segunda será lançada em um momento posterior, ainda em 2012). Além disso, o tablet possui uma tela de 10.1 polegadas (1280 x 800) e câmera traseira de 5 megapixels.

Uma das grandes novidades desse tablet não é o seu processador de quatro núcleos, ou o seu sistema operacional Android 4.0 Ice Cream Sandwich. A Samsung colocou no Galaxy Note 10.1 o que eles chamam de “live panels” para uma verdadeira experiência multitarefa. Você pode escolher múltiplas janelas ou aplicativos abertos, e jogar aquele que é de sua preferência na tela, na hora que você quiser. Por exemplo, você pode verificar os seus e-mails enquanto assiste a um vídeo, ou fazer anotações enquanto está lendo uma notícia em um site. Tudo isso, de forma muito prática, com a ajuda da tecnologia WACOM de digitalização, e a caneta S-Pen, para um traço preciso para desenhos, notas, jogos e mais.

Resumindo: tudo aquilo que os usuários mais gostam no Galaxy Note original, mas em uma tablet, com uma tela maior, e um produto mais rápido.

Seu preço sugerido nos Estados Unidos (para o modelo de 16 GB) é de US$ 499. A versão de 32 GB sai por US$ 549, e as duas versões estão disponíveis nas cores White ou Dark Grey.

A Samsung também apresentou alguns acessórios que estarão disponíveis para o consumidor completar o produto. Canetas S-Pen, apoio para canetas, carregador de viagem, kit de conexão USB, adaptador HDMI e dock universal para desktop estão entre os itens apresentados.

Por fim (e antes que todo mundo comece a fazer esta pergunta), a Samsung já informou que, apesar o Galaxy Note 10.1 chegar ao mercado com o Android 4.0 Ice Cream Sandwich, até o final do ano ele vai receber a atualização para o Android 4.1 Jelly Bean, oferecendo assim todas as principais novidades incorporadas pelo Google na última versão do seu sistema operacional móvel.

Via SlashGear