Não que essa notícia vai mudar o mercado dos tablets, mas mostra que a Samsung está mesmo em alta no Reino Unido. Como vocês sabem (e se não sabem, ficarão sabendo), a Rainha da Inglaterra, Elizabeth II, é aquela que podemos chamar de “velhinha conectada”. Ela já foi vista jogando Nintendo Wii no Palácio de Buckingham, já visitou a sede do Google no Reino Unido, está no Twitter e no Facebook, e dessa vez, escolheu o tablet Samsung Galaxy Note 10.1 para ser o tablet oficial da sua coleção real.

Com isso, o produto será a casa da “cápsula do tempo digital” da Rainha Elizabeth II, substituindo o iPad nessa nobre missão. A escolha foi feita com o aval da instituição de caridade Royal Commonwelth Society, que decidiu pelo produto da Samsung por considerar o Galaxy Note 10.1 “o produto definitivo na era dos tablets”. Ok, muitos de vocês não vão concordar com essa afirmação (eu mesmo não concordo), e os critérios deles para chegar a essa conclusão não foram revelados.

De qualquer forma, o dispositivo vai armazenar vídeos, fotos e textos que farão parte da “cápsula do tempo digital” da Rainha Elizabeth II e os seus 60 anos de reinado. No total, 150 GB de dados serão coletados, e obviamente, o Galaxy Note não vai armazenar tudo isso de material (sua capacidade máxima de armazenamento é de 64 GB). Por causa disso, o material vai passar por um processo de seleção, analisado por uma comissão julgadora, onde os melhores trabalhos serão escolhidos.

Mais de 37 mil pessoas de 66 países fizeram parte do projeto, entre eles o atleta olímpico Oscar Pistorius, e até o Príncipe Harry, neto de Elizabeth II. O registro mais popular dessa linha do tempo é do casamento real do Príncipe William e Kate Middleton, que foi escolhido por mais de 200 pessoas.

O tablet ficará guardado no Castelo de Windsor, local onde a coleção real fica protegida, e será usado pela Rainha Elizabeth II, como uma forma divertida e moderna de relembrar a sua jornada no reinado mais longo da história do Reino Unido.

Via BBC