samsung-galaxy-s7-teaser

A Samsung, atual líder do mercado de smartphones, seguiu por anos a estratégia agressiva de lançamentos de vários modelos, em várias linhas. Desde 2014, os coreanos reduziram o seu catálogo em 25%, e o resultado disso é uma identificação mais simples e prática de suas famílias de telefones inteligentes.

O problema agora da Samsung não está tanto na falta de organização de seu catálogo, mas sim a própria rentabilidade dessas famílias. Agora, algumas fontes próximas desse fabricante afirmam que a empresa já planeja mudar sua estratégia de lançamento anual, reduzindo ainda mais o número de produtos e focando em outros campos, como o dos acessórios, para melhorar os números globais.

A ideia seria reduzir margens, desenvolver uma política de preços mais agressiva, para uma maior movimentação de estoque e fazer frente no mercado chinês, cada vez mais em ascensão. Porém, parece que essa ideia foi descartada.

Logo, a nova redução de catálogo seria focada principalmente nos modelos de entrada, setor onde outros fabricantes chineses afetam os resultados da Samsung, de modo que a empresa vai oferecer valor agregado com os seus acessórios, como os smartwatches e óculos de realidade virtual.

A Samsung acredita que a nova política de lançamentos terá efeito nas contas da empresa em um prazo entre 12 e 18 meses, de modo que a decisão já estaria tomada e em curso. Os modelos da atual geração podem não receber uma nova versão, mais precisamente os das séries E e J.

 

LG quer potencializar o LG G5

LG G5 SE-01

A LG deve adotar estratégia muito similar. Por tempos, seguiu os movimentos da Samsung lançando vários modelos nos mercados globais, pese às variantes locais. Porém, a empresa sofre da redução das vendas, também sentindo o impacto de outros fabricantes dentro do mercado asiático.

A LG informou prejuízo em sua divisão de smartphones, com vendas de 60 milhões de unidades em 2015, e isso parece continuar a ponto de revelar uma previsão de aproximadamente 50 milhões de unidades vendidas em 2016. Por conta dessa queda (que, por enquanto, é de 12,3%), a empresa planeja tomar providências.

Para isso, além de reduzir o seu catálogo de dispositivos nos futuros lançamentos, a LG vai enviar membros de sua equipe da divisão móvel para a divisão de veículos, fazendo com que parte da empresa encarregada pelos smartphones suporte um gasto estrutural menor.

O LG G5 parece contar com uma boa acolhida. Porém, a LG reconhece que está falhando na distribuição, que é muito ajustada para estimar vendas menores do que as alcançadas. Desse modo, o maquinário já trabalha para corrigir isso, melhorando tanto a fabricação como a demanda dos próprios dispositivos.

Via Koreatimes