samsung galaxy note 7

O problema do Galaxy Note 7 e suas baterias resultou em grandes estragos para a Samsung, que poderia ter em 2016 um dos seus melhores anos com o Galaxy S7/Edge, mas no final não saiu nada bem.

Com o Galaxy S8, a Samsung se recuperou, e mostrou que o que aconteceu no ano passado foi um erro que eles não pensam em repetir. o desastre teve consequências positivas para o usuário, com a Samsung tornando os testes com as baterias algo mais rígido.

Agora, sabemos que a Samsung incorporou testes especialmente destrutivos para garantir a qualidade e resistência de suas baterias, o que resultou na ausência de problemas nesse aspecto com os modelos Galaxy S8 e S8+.

Alguns dos testes são tão extremos, que a Samsung perdeu aproximadamente 3% de sua produção de baterias para poder realizá-los. Um gasto necessário para um processo de controle de qualidade mais apropriado.

A bateria é o elemento mais perigoso de todos ao ser integrado em um smartphone. É fundamental que seu processo de fabricação e controle de qualidade garantam uma maior confiabilidade no produto final.

Se estes requisitos não se cumprem, as consequências podem ser muito graves. O caso do Galaxy Note 7 foi flagrante, mas vimos casos isolados com Apple, Xiaomi e HTC, e entendemos perfeitamente que a gigante sul-coreana não quer correr mais riscos.

 

Via Technology Review