apple

 

O site 9to5mac publicou uma atualização em um artigo que acompanhava a suposta solicitação da Rússia para a Apple, visando desbloquear o iPhone do terrorista que assassinou o seu embaixador. A nota afirma que fontes confiáveis indicam que a Apple jamais recebeu um requerimento por parte da Rússia para o procedimento.

Será a Rússia quem vai usar os seus órgãos de segurança para identificar o código de quatro dígitos do iPhone 4S do terrorista, algo que até o momento não foi alcançado.

O TechCrunch reforça essa teoria, e afirma que não deve ser muito difícil descobrir essa senha, com grau de dificuldade que pode variar de acordo com a versão do iOS. Adiciona que existem várias soluções disponíveis que dispensam a ajuda da Apple.

Logo, não faz muito sentido a Rússia envolver a gigante de Cupertino na história.

Mesmo assim, a volta do debate ao tema foi inevitável. O que a Apple deveria fazer nesse caso?

Muito barulho se fez quando a empresa se negou a ajudar na investigação do caso de San Bernardino, e mesmo sem colaborar dessa vez, a repercussão midiática foi importante.

O que você acha?

É preciso priorizar a segurança no lugar da prioridade, ou proteger o usuário [e mais importante que qualquer outra coisa?

 

Via 9to5macTechCrunch