Runcible

O Runcible é um dispositivo que é até difícil de ser explicado. Apesar de parecer uma pedra ou um item decorativo zen, ele é um dispositivo com tela circular, com todos os componentes necessários para ser definido como um smartphone. Mas não é um smartphone.

A proposta da Monohm Inc. foi vista pela primeira vez em fase de projeto na MWC 2015, e agora parece avançar para o grande público. O Runcible não é um telefone móvel pensado em ser o melhor, mas sim em ser diferente. Por dentro e por fora.

Na sua aparência externa, temos um smartphone com forma perfeitamente circular, com uma tela com 2,5 poleadas de diâmetro (640 x 640 pixels, 256 pixels por polegada). Muito discreto e compacto.

Suas especificações de hardware não são top de linha, se encaixando com a ideia de ser um “antismartphone”: processador Qualcomm Snapdragon 410 com gráficos Adreno 306, 1 GB de RAM, 8 GB de armazenamento e câmera de 7 MP. Inicialmente possui suporte para redes 3G, mas se as reservas forem significativas (ou suficientes para chamar a atenção das operadoras), podemos ter uma versão com rede LTE.

Parece um smartphone mas… por que não quer ser um smartphone?

Runcible-02

A proposta do Runcible é motivada no fato de que cada vez passamos mais tempo presos ao smartphone, olhando para a sua tela. O produto quer ser uma alternativa para quem vê isso como um problema, e quer usar o celular o menos possível.

As características que fazem com que o Runcible assuma esse papel de “antismartphone” estão principalmente no software, que inicialmente teve base no Firefox OS, mas uma vez que a Mozilla abandonou o projeto, seus desenvolvedores migraram para o Android 5.1, através da plataforma própria BuniOS, desenvolvida pela Monohm usando o AOSP (Android Open Source Project).

Runcible-03

Nas restrições, temos um app de mapas que não oferece rotas concretas, mas sim as mais bonitas, um sistema de gerenciamento de notificações que evita o acúmulo de itens quando não visualizadas, e nada de acesso à Play Store a partir desse dispositivo.

Ou seja, temos especificações muito básicas, com um processador de 2013, em um dispositivo com formato circular com acabamento de plástico reciclado do oceano (Babbage) ou de madeira (Lovelace).

Se você gostou do “antismartphone”, saiba que o Runcible está disponível para reserva por US$ 399 no modelo Babbage, ou US$ 499 no modelo Lovelace (esse segundo em edição limitada), com envios previstos para o mês de setembro. A ideia é que esse smartphone dure “décadas”, e isso “justifica” o seu preço tão elevado.

Runcible-04

Via EngadgetMonohm