O Windows 8 mal foi lançado (na verdade, tem pouco mais de um mês de seu lançamento), e o primeiro rumor sobre a próxima versão do sistema operacional da Microsoft aparece na web. Bom, não chega a ser um rumor tão desconhecido assim, mas vale informar que o nome de código dessa próxima versão (que é a utilizada pelos corredores do quartel general da empresa em Redmond) é “Windows Blue”.

Segundo informa o site The Verge (que por sua vez recebeu as notícias de fontes internas, discretas e muito anônimas da Microsoft), o Windows Blue traria consigo alguns retoques da interface de usuário do Windows 8, especialmente nos aspectos que receberam algumas críticas desde o lançamento da primeira versão beta do sistema atual. A atualização estaria disponível já no meio do ano de 2013, o que pode colocar um ponto de dúvida sobre o quão profunda poderia ser essa atualização.

Não acredito que a Microsoft vai fazer grandes reformulações no Windows com menos de um ano de vida do Windows 8. É mais fácil apostar em uma atualização menor, que ofereça correções e melhorias nos recursos e funcionalidades do que uma atualização maior, ou uma nova versão, tal como aconteceu agora com o Windows 8.

Aliás, a fonte do The Verge reforça essa teoria, informando que essa atualização seria uma espécie de “atualização anual” do Windows, da mesma forma como o Android, iOS e Windows Phone faz hoje. A Apple segue essa receita para o OS X, e a Microsoft deve ir pelo mesmo caminho, até mesmo para não deixar os usuários sem novidades no sistema por muito tempo, além de corrigir problemas e imperfeições que aparecem após o lançamento.

Para muitos, as atualizações anuais não são muito bem vindas em sistemas operacionais para computadores desktops, mas vale lembrar que a própria Microsoft adota hoje uma política de Service Packs, onde a cada mês é enviado para a máquina do usuário um pacote de correções de problemas gerais.

Não se trata do Windows 9, e sim, de um Windows 8.1, ou Windows 8.5, o que significa que esse Windows 8 que temos hoje é algo um pouco incompleto (o que á algo bem lógico, por causa da grande mudança que o sistema enfrentou), e em um ou dois anos contaremos com a experiência completa planejada pela Microsoft para o sistema operacional.