nokia-lumia-microsoft

O site chinês VTech garante que a Microsoft planeja vender os seus ativos da Nokia para a Foxconn, reduzindo assim em 50% a força laboral de sua divisão de smartphones.

Todo mundo sabe que o Windows Mobile está mal das pernas, e a debilidade da Microsoft no segmento mobile é algo explícito. Não ter nem 2% do mercado global e as previsões reforçarem o movimento de queda, levando em conta o potencial da gigante do software que domina 90% do mercado de desktops seriam motivos mais do que suficientes para a empresa simplesmente jogar a toalha.

Por isso, essa informação, que nesse momento não passa de um simples rumor, está em sintonia com especulações anteriores, que falam de um cancelamento progressivo da fabricação de smartphones Lumia. Não há novos modelos previstos para 2016, e parece que a estratégia da Microsoft aponta para outras finalidades.

A venda da Nokia para a Foxconn teria como primeiro objetivo recuperar parceiros para o Windows 10 Mobile. A Foxconn poderia comercializar dispositivos com a marca até 2024, quando se encarra o acordo de venda dos ativos da Nokia para a Microsoft.

Outro objetivo seria o Surface Phone. A fábrica restante da redução citada um pouco antes (adicionando às 18 mil demissões realizadas desde o momento da compra da Nokia) se integraria no grupo do Surface para trabalhar em três variantes da série de consumo, empresas e entusiastas. A Microsoft se centraria completamente neles, e seriam os únicos smartphones a serem comercializados no futuro. Tal e como ocorre com os tablets Surface, esse smartphone não teria como objetivo final alcançar vendas massivas, mas sim ser uma referência para os demais fabricantes, mostrando todas as possibilidades do Windows 10.

Lembrando: não há notas oficiais por parte da Microsoft, exceto o compromisso de desenvolvimento constante do Windows 10 Mobile. Por enquanto, vivemos na zona dos rumores. Mas quem sabe já temos um fundo de verdade aparecendo.