A esta altura do campeonato, mesmo não tendo nenhuma confirmação oficial que o novo iPhone será apresentado em outubro, todos os rumores publicados sobre o futuro smarphone da Apple praticamente confirmam o seu lançamento para o período estimado (se bem que, no ano passado, os mesmos rumores apareceram, e o que veio foi apenas o iPhone 4S… mas dessa vez não tem como dar errado!). O rumor da vez é sobre o novo chip, que pode ser um A6 quad-core.

O último dispositivo da Apple a receber uma atualização de processador foi o iPhone 4S, que conta com o A5. Para quem não se lembra, esse é um chio dual-core de 800 MHz, com uma potência gráfica excelente, perfeita para jogos, fotos e processamento de vídeo. O iPad de terceira geração recebeu o A5X, que se não foi muito atualizado, teve pequenas mudanças para receber a tela Retina.

O Tegra 3 iniciou o jogo dos chipsets quad-core, e cada vez são mais os dispositivos que começarão a integrá-lo, como não pode ser de outra maneira. Não é uma questão da Apple seguir a manada (e a tendência é que a empresa de Cupertino comande a manada), mas sim, uma necessidade. Como é evidente que o novo iPhone deve integrar um hardware melhor do que o atual, com uma maior velocidade de processamento e melhor qualidade gráfica, nada melhor do que migrar para um processador quad-core.

Que fique claro que quem levanta a bola para o mundo dos quatro núcleos na Apple é a DigiTimes. Como sempre, a Apple não confirma essa (e nenhuma outra) informação, e se a escolha deles não é por um quad-core, é por alguma outra coisa ainda desconhecida por todos. Fato é que, se a Apple optar por um processador de dois núcleos no novo iPhone, é uma verdadeira derrota tecnológica, que deixaria o novo produto defasado logo no ato de seu lançamento. E temos quase certeza que Tim Cook não quer isso.

Via DigiTimes