Mais um review para o blog TargetHD. E de mais um produto bem esperado pelos leitores do blog. O Samsung Galaxy S continua sendo o grande adversário do iPhone em termos de hardware, e depois dos testes, essa sensação ficou ainda mais presente. Muitos podem argumentar que esse review chega tarde demais, uma vez que o Galaxy S II está confirmado para chegar ao Brasil no meio do ano. Nem tanto: a tendência é que esse aparelho tenha seu preço reduzido, se tornando uma opção ainda atual e muito atraente para aqueles que querem um produto que oferece tecnologia de ponta, com recursos muito interessantes. Vamos então conhecer os detalhes do aparelho.

Eis a caixa do aparelho, em preto, bem sóbria.

Na parte traseira da caixa, você tem todas as especificações e características do produto.

Logo de cara, ao abrir a caixa do aparelho, você encontra o Galaxy S. Isso vem se tornando padrão em todos os grandes aparelhos do mercado.

No kit enviado para testes, veio o conector de energia, no formato convencional que encontramos nos produtos lançados no Brasil.

Ele utiliza um plug micro USB para se conectar ao aparelho, tanto para transmissão de dados quanto para recarga de bateria. Isso aumenta a praticidade na hora do uso, permitindo a recarga do aparelho no notebook. Vale o registro que no kit enviado para testes, não recebemos o cabo USB do produto.

Ele acompanha um fone de ouvido, com borrachas para redutor de ruído e microfone integrado. É parecido com o fone de ouvido que veio com o Galaxy Tab.

O microfone, integrado ao fone…

…e o plug P3, para a utilização com o microfone integrado.

A papelada que vem em todo aparelho: flyer promocional da Samsung Apps e manual de instruções. Repetindo: vale a pena dar uma olhada no manual de vez em quando, para poder ficar ainda mais familiarizado com o aparelho.

Agora, vamos ver os detalhes físicos do Galaxy S.

Ao ver de perto o aparelho, o usuário vai poder destacar a sua beleza e sobriedade. Ele não é um aparelho chamativo, e tem linhas simples para todo o potencial que o aparelho pode oferecer. Isso é bom, porque é um aparelho que volta as suas atenções para seus recursos e desempenho, que é o mais importante em um smartphone (não que design não sejam importante; é, mas não é tudo).

Na parte superior do telefone, você tem o sensor de proximidade, além da câmera para vídeo chamadas.

Na parte inferior do produto, o botão central do aparelho, presente na grande maioria dos dispositivos Android, o sensor para voltar telas e aplicativos, além do sensor para menus de aplicativos e telas.

O Galaxy S é um aparelho de baixa espessura, sendo bem cômodo para se levar no bolso da calça. Esse detalhe na lateral em prata combina com o formato e com a proposta do aparelho, dando uma aparência ainda mais elegante ao aparelho.

Abaixo, fotos comparativas com o iPhone 3GS, para vocês terem ideia do tamanho do aparelho (mesmo com o iPhone com um case, podemos garantir que a diferença é mínima).

Na parte superior do aparelho, temos o conector de fone de ouvido, e o conector para carga de bateria e transferência de dados.

Visão geral da lateral do aparelho. Aqui, vemos melhor o quanto que o telefone é fino em suas dimensões.

Na lateral superior direita, temos o botão de liga/desliga do aparelho. Esse botão é relativamente sensível, e durante os testes, fez com que o smartphone ligasse acidentalmente.

Na lateral superior esquerda, os botões de controle de volume do aparelho.

Na parte inferior do telefone, apenas o microfone do aparelho.

Visão geral da parte traseira do Galaxy S.

Acima, a câmera do smartphone. Detalhe: sem flash LED, uma das grandes ausências do modelo.

Um detalhe do aparelho: ele tem a sua parte inferior mais curvada, o que oferece um melhor agarre do aparelho durante o uso.

Para abrir o aparelho, é necessário uma certa habilidade e uma boa unha. A tampa é removida pelo encaixe na parte inferior do aparelho, mas sua remoção não é tão simples. Deve se fazer com cuidado, para que seus contatos de plástico não se quebrem.

Como informamos anteriormente, a sua tampa traseira é de plástico, mas sem muitos dentes salientes. Mas vale a pena ter os tais cuidados para remover a tampa.

Visão geral da parte interna do Galaxy S.

Em destaque, os slots para cartão microSD e cartão SIM.

Sua bateria, que possui uma boa autonomia de uso. Nos testes, com uso normal de recursos de internet em 3G e WiFi, vendo vídeos, usando o Twitter e checando e-mails, sua autonomia foi de pelo menos dois dias completos.

Visão geral da parte interna do conector de bateria.

Agora, vamos ligar o aparelho.

O aparelho é ligado com a tela bloqueada, o que evita acidentes ocasionais se ele ligar sozinho no seu bolso. Aqui, podemos ver que o colorido da tela é bem vivo, com tons bem desenhados. Muito disso se dá pela qualidade da tela Super AMOLED.

O brilho do aparelho é outro ponto de destaque, deixando as imagens mais nítidas.

Visão geral da tela principal do Android 2.2 presente no Galaxy S. Um sistema que se encaixou muito bem com o hardware do aparelho, sendo executado com fluidez.

No aparelho que foi enviado para testes, estavam presentes os aplicativos de Gmail e Gtalk. Recebemos a informação que a Claro resolveu voltar atrás, e devolver o programa do Gmail para os usuários. Caso você compre o Galaxy S desbloqueado (em e-commerce ou loja de varejo, fora da Claro), você tem esses dois aplicativos garantidos em seu aparelho.

Na parte superior da tela, você tem as opções de conectividade. Bem localizado para um acesso rápido, para aqueles que precisam trocar de status de rede a maior parte do tempo, e útil para quem precisa economizar no pacote de dados.

O aparelho conta com três telas principais de aplicativos. Simples, como pedem as interfaces atuais dos sistemas operacionais móveis.

Repare que, na tela principal do sistema, os aplicativos são fáceis de serem identificados, mesmo quando estão em uma tela bem colorida. Isso mostra novamente a qualidade da tela Super AMOLED do Galaxy S.

São 7 telas principais de aplicativos e widgets para o usuário. Para a maioria dos usuários, é uma quantidade mais que suficiente.

No topo da tela, você tem informações de relógio, qualidade de recepção do WiFi, indicador de bateria, qualidade do sinal da operadora de telefonia, data e hora, entre outros.

Assim como no Galaxy Tab, o Galaxy S tem o widgets de feeds de notícias, previsão do tempo, mercado financeiro, compromissos e outros.

Seu teclado QWERTY é bom e bem preciso. Em comparativo com o teclado do iPhone, não deixa nada a desejar, tanto na sua orientação vertical, como na posição horizontal.

Agora, uma olhada rápida no aplicativo de YouTube do aparelho, que se destaca pela sua velocidade de carga, e pela sua qualidade de imagem exibida.

Os resultados das buscas são entregues rapidamente, dependendo da qualidade da conexão de internet que você está utilizando. Abaixo, algumas telas do vídeo do YouTube em execução.

Enquanto ativo, os sensores de menu e retorno se iluminam, facilitando a sua identificação em ambientes mais escuros.

O teclado virtual do telefone tem teclas bem amplas, tomando boa parte da tela, além de ícones de fácil identificação.

Outro destaque do Galaxy S é o Google Maps, que seguindo a tradição dos aparelhos Android, é muito rápido.

É dispensável dizer que, para você ter acesso aos principais serviços do aparelho, você precisa vincular uma conta do Gmail ao telefone. Logo, podemos pular esta parte.

Ele também conta com um recurso de notas, semelhante ao aplicativo que encontramos no iPhone, que é muito prático para o uso diário, para registrar aquelas informações de última hora, que vamos consultar depois.

Com esse bloco de notas, podemos utilizar os textos para enviar para amigos via SMS ou redes sociais, dependendo de nossa necessidade.

Outros destaques do Galaxy S:

Seu player multimídia, que tem uma aparência simples e minimalista, facilitando a identificação de seus recursos.

O Office Mobile, que pode ser uma excelente alternativa para quem já utilizava o Documents To Go no iPhone. Inclusive com a disposição de pastas para organização dos documentos no smartphone (documentos do Office Mobile).

Pouco mudou nas suas telas de configurações, que possuem muitas opções para personalização do aparelho. Tantas, que podem deixar o usuário confuso, mas com um pouco de treino, logo se identifica todas elas.

Sua câmera digital em ação, com foco automático, mas que merecia um flash LED para ser uma ferramenta mais completa.

Os recursos de ajustes de câmera se dispõem de forma semelhante ao Galaxy Tab, com recursos bem completos para fotografia e filmagem.

Por fim, o Samsung Galaxy S está APROVADO. Mesmo com a chegada do Galaxy S II prevista para o meio do ano, o Galaxy S se mostra uma alternativa real para quem quer ter um Android que esteja no mesmo nível do iPhone. O smartphone possui uma performance impecável, com uma boa gama de recursos, além de um design sóbrio e atraente. E com a expectativa de que seu preço caia com a chegada do Galaxy S II, ele se torna uma opção muito interessante. Para quem quer um Android que seja impecável para seu trabalho e lazer, essa é a opção mais completa.