Um review muito esperado pelos leitores do TargetHD e por mim, que namorei esse modelo por alguns meses. O Samsung Omnia W é o primeiro telefone da fabricante sul-coreana a contar com o novo sistema operacional da Micrsoft, o Windows Phone 7.5 (Mango), e mesmo sendo um dos pioneiros em sua categoria, ele não decepciona. Nesse review, mostramos algumas das características do dispositivo, além de um pouco de sua experiência de uso.

O Samsung Omnia W é um smartphone simples e discreto. Muitos podem achar as suas linhas pouco atraentes, mas ele pode agradar aqueles que não querem levar por aí um telefone com cores chamativas, ou que possa atrair os olhos de curiosos pelo design. Pelo menos para mim, não me incomodou. E acredito que para muitos usuários que querem combinar preço competitivo, bons recursos e design minimalista, essa é uma das opções a se considerar.

Parte superior do telefone, com alto-falante para chamadas, câmera frontal e sensor de luminosidade e proximidade. Os três funcionam muito bem, para suas respectivas finalidades. O alto-falantes tem um bom volume, mas não excelente. Você corre o risco de não ouvir a pessoa do outro lado se estiver em um local de grande movimento e muito barulho, mas certamente a pessoa que está do outro lado da linha vai te ouvir bem. Sobre a câmera frontal, eu falo mais para frente.

Na parte inferior, os botões característicos do Windows Phone: o central, que atua como a tecla HOME, o Pesquisar, que abre a guia para pesquisas no Bing, e o Retornar, que volta uma (ou várias) telas previamente abertas. Pode não parecer, mas tudo o que você precisa para navegar sem maiores problemas no Windows Phone são essas três teclas. Bom, na verdade um botão e dois botões sensíveis ao toque, que acendem quando são acionados. A iniciativa de usar três comandos apenas torna o sistema ágil e simples de usar, mas também falo disso mais para frente.

Na parte superior do Omnia W, temos o conector para fones de ouvido. Os fones originais do smartphone decepcionam (o que era de se esperar). Logo, adquira fones de sua confiança para usar com o telefone.

Visão geral da lateral do telefone. É um smartphone com baixa espessura, de bom agarre, e confortável para se levar no bolso da calça.

Na parte superior esquerda, você tem os controles de volume, para toques e recursos multimídia (música, fotos, vídeos, etc).

Na lateral superior direita, o botão de liga/desliga, e de bloqueio de tela.

O Omnia W conta com um botão dedicado à câmera, o que pode oferecer fotos mais precisas para aqueles que preferem esse tipo de opção. Se bem que, pela experiência que tenho com o telefone, o modo de disparo com um simples toque na tela é mais prático e eficiente. Afinal, o aplicativo da câmera se encarrega de focar o objeto da cena, e imediatamente, registrar a imagem, com um simples toque na tela.

Visão geral da parte traseira do Omnia W.

Na parte superior, sua câmera de 5 megapixels, com flash LED. É uma boa cãmera, com uma filmagem em HD (720p) eficiente, mas com uma gravação de áudio um pouco mais baixa do que o desejado. Mas isso pode ser corrigido, com ajustes nos programas de edição de vídeo que você tem no seu computador. As fotos são boas o suficiente para você enviar de forma rápida para as redes sociais, mas nada que possa fazer você repensar o destino de sua câmera digital dentro da gaveta. Para mim, deixou um pouco a desejar, mas pode ser útil para muita gente.

Na parte inferior, a marca registrada de um dos destaques desse review.

Na parte inferior do smartphone, o conector USB, para recarga da bateria e transmissão de dados. Sua recarga é de tempo moderado (mais lento do que o iPhone 3GS e o Samsung Galaxy S II, só para ilustrar), mas isso se compensa com sua autonomia de bateria, que é excelente. O software de transmissão de dados (o Zune) é simples, prático e eficiente, mas seu instalador tem mais de 100 MB. Logo, prepare sua banda larga para esse download.

Tampa da bateria de plástico, com pequenos contatos que podem se quebrar na hora do encaixe da tampa. Muito cuidado. Evite ficar removendo e encaixando o tempo todo essa tampa, para evitar problemas futuros.

Visão geral da parte interna do Samsung Omnia W, com um bom tamanho de bateria, para oferecer uma boa autonomia de bateria.

Ok, chega de enrolação. Eu sei o que vocês querem ver: o Windows Phone em ação!

Eis a tela de bloqueio. Lembra a tela de bloqueio do Galaxy S nas cores. Seu desbloqueio é com um simples movimento de slide para cima. Mas muito, muito mais suave do que acontece no Android, ou em sistemas similares.

Visão geral do Windows Phone 7.5. Aqui, nos vemos as “Live Tiles”, ou essas pequenas caixas, que ficam ativas no sistema, mostrando informações sobre os seus contatos e/ou aplicativos conectados. É muito fácil criar novas Tiles na tela principal do telefone, assim como é simples você gerenciar essas telas. Ah, e se você está se perguntando sobre o consumo de dados do aparelho, saiba que o Windows Phone tem um recurso bem legal, que é desligar a conexão da web (via WiFi e 3G), enquanto sua tela estiver desativada. Para atualizar os dados, ele realiza um pequeno ping, ativando a conexão por alguns instantes, para que seus e-mails, mensagens nas redes sociais e outros recursos sejam atualizados.

A resolução da tela de 3.7 polegadas do Samsung Omnia W é simplesmente espetacular. Os gráficos são exibidos sem serrilhados, com cores vivas e agradáveis. Vídeos são vistos com uma qualidade muito boa (imagino que em modelos com tela maior, o Windows Phone vai se destacar muito neste aspecto), e todos os itens do sistema são exibidos de forma mais elegante, reforçando a proposta minimalista, porém, visualmente agradável do sistema.

Algumas “Tiles” podem informar em tempo real se há atualizações, como e-mails e notificações do Marketplace. O sistema de cadastro de contas de e-mail e redes sociais é muito simples e intuitivo. Você não precisa saber dados de servidor, endereços POP ou IMAP, e outros elementos que podem complicar a vida do usuário. As atualizações do Marketplace também são feitas de forma simples, com poucos toques. E o acesso das telas seguem dois elementos simples: telas com poucos elementos visuais, e letras bem visíveis.

Essa é a segunda tela do Windows Phone, por assim dizer. Nessa tela, o sistema mostra todos os aplicativos presentes no sistema, listados por ordem alfabética. Para facilitar a sua identificação, os aplicativos do sistema contam com ícones em tom azul (a cor pode variar de acordo com o esquema de cor escolhido pelo usuário), enquanto que os demais softwares podem ser visualizados com os seus ícones originais. Esse menu também é utilizado com movimentos em slide para cima e para baixo. E, como nas outras telas do Windows Phone, a movimentação nesse menu é excelente, com uma transição muito suave e prazerosa.

Abaixo, fotos do uso da câmera nos seus três modos:

No modo de foto…

…no modo de gravação de vídeo com a câmera traseira…

…e no modo de gravação de vídeos com a câmera frontal. Aliás, para uma câmera dedicada para videochamadas, ela é excelente. Boa reprodução, e boa taxa de transmissão.

O Windows Phone tem um aplicativo de Twitter que, seguindo toda a filosofia do sistema, é simples, eficiente e rápido. Ele não gasta muito tempo para atualizar a sua timeline, e sua exibição das informações na timeline é bem agradável. Tudo muito, muito simples. Basicamente, os textos na tela e o avatar do usuário.

Todas as telas seguem o mesmo padrão, e a maioria dos aplicativos testados possuem essa mesma interface simples.

A rede Xbox Live também está presente no Windows Phone. Aqui, ele atua como uma extensão da experiência da rede que já está presente no seu console Xbox 360, concentrando os contatos, conquistas e avatares no mesmo lugar. Obviamente, a principal adaptação nessa rede é que aqui você baixa e joga os games especificamente pensados para o Windows Phone. Mas isso, por enquanto. Quem sabe no futuro você não possa jogar o FIFA 12 que você tem em casa em qualquer lugar. E melhor: compartilhar os seus progressos em todas as plataformas. Esteja certo que a Microsoft está pensando nisso.

O YouTube foi uma das experiências mais agradáveis que tive com esse sistema. Ele utiliza a versão mobile do site de vídeos, mas diferente de outros sistemas, a carga desses vídeos é rápida, sem necessitar daquele buffer que sempre incomoda na hora de ver vídeos no YouTube. O resultado disso? Uma reprodução sem interrupções, e de alta qualidade. E, de novo, vemos controles minimalistas, para não complicar a vida dos usuários.

Agora, seu teclado.

O teclado é bem eficiente, com um corretor ortográfico muito bom (em alguns momentos, melhor que o corretor do iOS). Por ser um telefone com uma tela de 3.7 polegadas, o Omnia W pode tornar o processo de digitação mais longa algo desconfortável, mas em telas maiores, ele deve ser um poderoso aliado para quem fica o dia inteiro nas redes sociais, ou quer um telefone para mandar e-mails sem erros de digitação.

Para quem for pegar o Omnia W, recomendo a digitação na orientação horizontal. Apesar das teclas pequenas, ela é mais precisa e confortável do que quando é feita na orientação vertical.

Por último, mas não menos importante, o Internet Explorer.

Tá, eu sei. Muitos de vocês possuem um forte preconceito contra o Internet Explorer nos desktops. Eu também tenho essa certa rejeição. Porém, no Windows Phone… o navegador é tudo aquilo que você sempre sonhou que fosse! Rápido, estável, funcional. O desempenho é de cair o queixo em redes WiFi e até mesmo em 3G, a sua exibição de páginas é feita em um tempo muito bom. É claro que muitas variantes precisam ser consideradas (principalmente a qualidade de conexão da sua casa, ou de sua operadora). Mas, em condições normais de temperatura e pressão, o desempenho do Internet Explorer no Windows Phone é um dos melhores que você pode ter em uma experiência mobile.

Quanto ao desempenho geral do sistema, só elogios. O sistema é muito leve e intuitivo. Com poucas horas de dedicação, qualquer pessoa consegue mexer nas principais funcionalidades do sistema. E esse é um grande acerto da Microsoft em apostar nessa proposta. Tá, muitos vão dizer: “o iPhone faz isso desde 2007”. Eu concordo. Mas o Windows Phone fez isso sem utilizar o padrão Apple de qualidade. Estabeleceu o seu padrão. Criou um sistema do zero, com uma ideia fixa de ser o mais simples possível e, de fato, o Windows Phone é mais simples que os seus concorrentes, e isso vai fazer com que a empresa conquiste um novo público. E tudo isso, em um sistema com um desempenho invejável, que é o resultado de mais uma acertada decisão da empresa de Redmond, em estabelecer uma tabela com especificações mínimas para os modelos. E, se desse jeito que está (com 1.4 GHz de processador de núcleo simples), imagina quando esse sistema chegar ao Windows Phone Apollo, que terá suporte aos processadores de dois núcleos? Sim, amigos… o Windows Phone chegou para ficar.

Por fim, o Samsung Omnia W, com Windows Phone 7.5 está APROVADO. É um aparelho com recursos condizentes com sua proposta de mercado (um modelo de linha média), e com um sistema que casou muito bem com esse hardware. Esperamos que a Samsung e os demais fabricantes trabalhem com dedicação nos futuros projetos com o sistema. Quem tem a ganhar são os usuários, que contam com uma nova opção de sistema operacional móvel.

Ainda nessa semana, publicaremos a versão em vídeo desse review.

Preço: R$ 1.299,00