Um dos reviews mais esperados do TargetHD em todos os tempos. Finalmente, tive a chance de testar com calma o tablet da Samsung, o Galaxy Tab, e escrevo a tradicional análise do produto para vocês. Lembrando que este review é demonstrativo, e não comparativo. Logo, não esperem que eu fique aqui fazendo comparações com o iPad (mesmo porque eu só faria isso se tivesse os dois gadgets em mãos aqui). O objetivo desse review é destacar as principais características e seus pontos positivos e negativos. Então, vamos lá. Começando pelo unboxing do aparelho.

E eis a caixa do produto, mostrando o tablet logo de cara. Um caixa simples, mas com ar descolado.

Na parte traseira da caixa, você encontra todas as principais características do Galaxy Tab, além de tabela dos principais recursos do produto.

Ao abrir a caixa do produto, já encontramos o tablet, perfeitamente encaixado em sua caixa. Ou seja, a primeira coisa que você vai fazer após abrir a embalagem é pegar o gadget da caixa.

Ao retirar o tablet da caixa, levantamos uma aba, que dá acesso a todos os periféricos do tablet, como cabos, carregadores e fones de ouvido. Vamos ver cada um desses itens.

O cabo de dados USB, que é um cabo proprietário, e é exclusivo para transmissão de dados.

Um cabo mini USB, que também serve para ser usado com o adaptador de energia elétrica, para recarregar a bateria do tablet.

Os fones de ouvido, para você não incomodar ninguém na hora de ver um vídeo do YouTube, que possui um microfone integrado.

O fone possui microfone integrado, para uma maior comodidade na hora da comunicação via vídeo-chamadas.

O adaptador para rede elétrica é de tamanho médio, e se conecta ao cabo mini USB que vimos acima.

Ele se conecta à sua tomada através de um adaptador slide, que se encaixa no adaptador de tomada. Na versão de testes que chegou até aqui, só veio a versão compatível com a tomada brasileira, mas acredito que em outras versões ele deve contar com outros modelos e formatos, principalmente para aqueles que fazem muitas viagens internacionais.

O fone Bluetooth que acompanha o tablet é bem elegante, em tons black piano e linhas arrojadas.

Por fim, para completar os itens de sua embalagem, temos o guia rápido de uso do produto. Vale a pena dar uma olhada nele. Além disso, você vai encontrar um folheto informativo sobre o Samsung Apps.

Agora, vamos aos detalhes físicos do Galaxy Tab.

O tablet é bem simples e elegante, como deve ser um bom tablet. É um produto de dimensões compactas, o que acaba fornecendo um bom agarre, e uma maior possibilidade de ser transportado com maior discrição e comodidade. E, como em todo dispositivo de tela de toque, sua tela atrai facilmente as marcas de dedo durante o uso. Procure passar sempre uma flanela seca, ou lenço para limpar a tela após o uso.

A sua parte traseira é em tom branco, o que nos obriga a pensar rapidamente em um case protetor para o produto. Afinal de contas, só por ser branco, esse material plástico deve atrair não apenas riscos, mas principalmente sujeira. E você não quer o seu caro tablet encardido, não é mesmo?

O Galaxy Tab é um tablet relativamente fino, sendo menos espesso que um livro, e sendo um pouco mais espesso que um smartphone. Isso ajuda na hora de segurar o produto, tornando o seu uso mais natural. A impressão que temos é que estamos segurando um caderno mais leve e compacto, e isso estimula o usuário a utilizar o tablet por mais tempo.

Na parte superior do tablet, podemos ver a câmera frontal, que é utilizada para o recurso de vídeo-chamadas, e o sensor de presença, para alguns controles específicos do tablet. Tal como encontramos em alguns smartphones mais completos do mercado.

Na parte inferior do tablet, os quatro botões de atalho tradicionais dos sistemas Android. Todos integrados ao corpo do tablet, sendo ativados através do toque simples.

Visão geral da parte inferior do tablet….

… que conta com os alto-falantes do produto, além do seu conector de cabo para transmissão de dados.

Visão geral da parte superior do produto, onde encontramos o conector do fone de ouvido, e a antena para recepção de TV.

Nas laterais do produto estão os poucos botões físicos do tablet. Na lateral direita, temos o botão de liga/desliga, além dos botões de comandos de zoom para aplicativos de navegação, como browsers de internet e Google Maps (apesar de que isso pode ser feito diretamente na tela do aparelho, que é muito mais prático).

Um pouco mais abaixo, temos a entrada para o cartão microSD e slot para cartão SIM. Como ele possui funções de telefone, é recomendado adquirir um desses, e com algum plano de dados.

Na outra lateral fica localizado o microfone do produto, estrategicamente posicionado na parte superior, para captar melhor o áudio da pessoa na hora de uma comunicação por voz. Diferente do que seria se fosse um telefone, a tendência é que o usuário posicione o Galaxy Tab na maior parte do tempo na posição vertical, ficando (teoricamente) com a projeção de voz na maior parte do tempo na parte superior do produto.

Aqui está a antena para recepção de sinais de TV. Me incomoda um pouco esse formato de antena no produto, mas é a opção de momento que a Samsung adotou. Mais pra frente, vamos ver essa função de TV em funcionamento.

Aqui vemos mais de perto a câmera de 3 MP com flash LED e foco automático. Também vamos falar um pouco dela mais adiante.

Acho que mostramos as principais características físicas do Galaxy Tab. Chegou a hora de ligar o aparelho.

E assim, temos o sistema operacional Android 2.2 ativo no Samsung Galaxy Tab:

O sistema tem uma aparência similar ao dos telefones com Android, com cores vivas e bem detalhadas. Para um produto que também se destaca pelas propriedades multimídia e navegação, o Galaxy Tab se sai bem para exibir os seus elementos na tela, deixando tudo muito nítido e colorido.

Quando ligado pela primeira vez, o Tab faz os ajustes de WiFi e conta do Google, para que a cada vez que ele seja ligado, o sistema de rede sem fio esteja automaticamente ativa. As configurações do Google são feitas de forma simples, e basta o usuário ter uma conta qualquer do GMail.com para poder ter acesso a alguns recursos específicos, principalmente no caso da Android Market.

A tela principal do Tab apresenta os aplicativos mais usados pelo usuário, no que se refere aos conteúdos online (exceto pela TV móvel). Para quem já trabalhou com Android, sabe muito bem que, ao clicar em Aplicativos, você tem todos os aplicativos instalados no gadget. O tablet tem cinco telas de acesso, onde você pode personalizar os aplicativos da forma como você quiser, adicionando os aplicativos que você mais usa e/ou os recém instalados da Android Market.

Outro detalhe é que seus botões de acesso para as principais funções se iluminam, o que obviamente facilita o uso do tablet à noite.

Tela de feed de notícias, mercado financeiro e previsão do tempo. É um programa simples, mas opções mais completas estão disponíveis na Android Market.

O Tab, na orientação horizontal. O recurso de acelerômetro funcionou muito bem no aparelho de testes, com transições rápidas de tela e organização automática dos ícones, deixando tudo minimamente organizado.

Próximo passo: testar a função de TV móvel. Aqui, vale alguns registros. Aqui em Araçatuba não temos ainda a TV digital (sim, amigos… eu moro no fim do mundo), logo, só poderia captar os canais analógicos. Além disso, eu moro em uma região baixa da cidade, onde o sinal sofre interferências de outros prédios mais altos. Por conta disso, o resultado dos testes foram um pouco prejudicados. Mas acreditamos que, em condições ideais, os resultados podem diferenciar um pouco. Vejamos o que aconteceu por aqui.

O sistema faz uma busca nos canais disponíveis na região. Aqui, temos mais de 13 canais analógicos, porém, o sistema só captou 4. Contando todas as limitações, temos que levar em conta que a antena que está no Galaxy Tab não difere das antenas que encontramos nos rádios portáteis que o seu avô usa no estádio de futebol no final de semana. Ou seja, o desempenho desse recurso deve ser muito melhor na captação de TV digital (sempre levando em conta a região que você está).

Este é o resultado de um dos canais captados. Como podem ver, mesmo localizando o canal, ele só exibe chuviscos.

No canal que a TV móvel funcionou, o resultado foi esse. Se bem que, pelo menos por aqui, esse canal pega até sem antena, então…

A seguir, o aplicativo para o YouTube. Esse foi dos aplicativos que mais me agradou no Galaxy Tab. Interface bem completa e ágil, acesso rápido, sem muitas complicações. E com o mais importante: o aplicativo funciona (falo isso, porque em outras plataformas móveis, não consegui rodar vídeo nenhum).

A busca oferece, durante a digitação, sugestões de palavras para complementar a busca de vídeos. Aliás, o teclado do Galaxy Tab é bem confortável e preciso, tanto no sentido horizontal quanto no vertical. E o recurso do Swype torna realmente a composição de palavras mais intuitiva, apesar de preferir ainda o teclado QWERTY tradicional.

O resultado dos vídeos varia com a qualidade dos vídeos buscados, mas a qualidade de reprodução dos vídeos do YouTube no Galaxy Tab é satisfatória. Você consegue ver seus vídeos de forma confortável no produto, e essa é uma vantagem que um tablet tem em relação ao smartphone. Veja abaixo fotos mostrando um exemplo da qualidade de reprodução do Galaxy Tab.

As telas de aplicativos também se apresentam em três abas, para melhor organização dos aplicativos.

Tela de opções de aplicativos. A mesma experiência dos smartphones Android. Ou seja, sem muitas novidades.

Tela principal de configurações. Você pode configurar muitos recursos do tablet, mas vale uma boa olha antes na tabela de recursos disponíveis, para não desconfigurar algo que não deve.

Próximo item: navegação na internet. Nesse quesito, o Galaxy Tab passa com louvor, tanto na conexão WiFi como na conexão 3G.

Ele aproveita muito bem o sinal de WiFi, e tem um tempo de resposta muito satisfatório para páginas mobile. No modo 3G, ele também se saiu bem, apesar de que você vai precisar sempre contar com uma boa cobertura de sinal. De qualquer modo, para navegar na internet em casa, ele vai muito bem.

Para sites que são exibidos no seu modo original, ele também possui uma ótima visualização, e com o recurso de zoom na tela, o conforto da sua navegação é maior. Para uma consulta em um site, ou até mesmo para consultas de escola, negócios ou lazer, ele vai tão bem quanto o seu netbook.

Abaixo, zoom aplicado nas páginas acessadas na web. Ele ainda mantém a nitidez de imagens e textos, mesmo após o zoom.

Próximo teste: câmera.

Uma coisa que achei estranha (ou que talvez eu tenha estranhado pelo tamanho da tela) e como as coisas são exibidas na tela. É tudo muito grande. Talvez seja justamente por causa das dimensões da tela. E, do que vocês estão vendo na foto, o tablet está com uma distância razoável do smartphone.

Na lateral direita, você encontra os ícones de configurações de câmera, flash, formato de cena, entre outros.

O tablet possui diversos recursos para um melhor ajuste de imagem. A qualidade das fotos são suficientes para, por exemplo, enviar as fotos de modo rápido para redes sociais, ou publicar em seu blog durante a cobertura de um evento. Mas nada alem disso. Porém, isso não chega a ser um grande pecado do Tab. Afinal de contas, a câmera aqui é um detalhe, e não um recurso essencial.

Do lado esquerdo, você tem os controles de seleção de modo de câmera (foto ou vídeo), além do botão de disparo da câmera.

Próximo item: leitor de livros digitais.

Outro item muito bem vindo no Galaxy Tab. Eu imaginava que a leitura de textos em tablets seria algo cansativo, mas depois de algumas horas testando a leitura de textos, cheguei a conclusão de que, quem gosta de leitura, pode se dar bem com o tablet. Com o seu tamanho, o seu agarre confortável, e sua combinação de reprodução de textos com o equilíbrio de intensidade de luz torna a leitura agradável, com o texto nítido para o leitor.

Um recurso bem legal do leitor de livros eletrônicos é o seu “virar de página”. Tudo bem que ele está presente em outros tablets, mas como o objetivo desse tipo de produto é tornar a experiência de uso a mais prática e natural possível, esse é um dos recursos que podem aproximar os usuários leigos dos tablets.

Por fim, o recurso de mapas.

Mais uma prova do quanto o Galaxy é eficiente no uso de seu recurso de dados. Ele tem uma abertura de página com velocidade bem satisfatória, podendo ter um uso interessante durante as viagens na estrada. Abre páginas com facilidade, tem recursos de busca de endereços simples, tudo como é no Google Maps tradicional.

Por fim, o Samsung Galaxy Tab está APROVADO. É hoje um dos tablets com sistema Android com melhor performance, e com uma grande gama de recursos. O único ponto que esperamos é que, com o passar dos meses, e com os novos lançamentos da Samsung e da concorrência, que o Galaxy Tab tenha o seu preço reduzido gradativamente. É compreensível quando os usuários alegam que um dos empecilhos do Galaxy Tab é o seu preço, mesmo porque ainda compramos os nossos gadgets analisando o quanto eles vão pesar no nosso bolso. Porém, o Galaxy Tab tem atributos avançados, com benefícios que podem favorecer os usuários iniciantes. Para usuários que necessitam de alguns itens adicionais (como uma câmera com foco automático em um tablet), ele é a opção que pode completar os anseios profissionais e de entretenimento.