Mais um review de smartphone Android no TargetHD.net. Dessa vez, apresento o Samsung Galaxy Pro, o smartphone com teclado QWERTY físico da empresa, que é pensado nos usuários que querem uma maior agilidade na hora de redigir seus e-mails e mensagens nas redes sociais. Fiquei com o aparelho por aproximadamente 1 mês, e relato aqui as minhas impressões sobre o produto.

O smartphone é relativamente fino. Ele tem basicamente a mesma espessura do iPhone 3GS, sendo bem mais leve que o smartphone da Apple. É um smartphone bem tranquilo para ser transportado. Abaixo, mais fotos comparando as dimensões dos dois smartphones.

Alto-falantes de chamadas do aparelho, na parte superior.

Os quatro botões de função do Android 2.2 (menu, home, voltar e pesquisar), em uma posição não muito favorável. Esses botões estão muito próximos ao teclado, e em muitas oportunidades, acabei esbarrando nesses botões durante a digitação. Em alguns casos, o trabalho é perdido, mas a maioria dos aplicativos continuam a trabalhar em segundo plano, o que minimiza o estrago. Ainda assim, é um ponto a ser observado.

O grande trunfo do Samsung Galaxy Pro, que é confortável e competente. Suas teclas possuem um relevo menor do que nos modelos de smartphones QWERTY de alguns concorrentes, mas ainda assim, a digitação é prática e prazerosa. Você vai ganhar muita agilidade ao digitar nesse smartphone.

Visão geral da lateral do aparelho.

Na lateral esquerda, os botões com controle de volume.

Na lateral direita, o botão de liga/desliga e bloqueio de tela.

Na parte inferior, um pequeno microfone, além do slot para remoção da tampa da bateria.

Na parte superior, o conector para fones de ouvido, e o conector micro USB, com uma tampa protetora em formato slide.

Visão geral da parte traseira do Samsung Galaxy Pro.

Sua câmera, de 3 megapixels, sem flash LED (o que é uma pena), e o seu alto-falantes, que fica posicionado ao lado da câmera. Tal como no Samsung Galaxy S, nessa posição, ao transportá-lo no bolso da calça, o alto-falantes fica completamente tapado junto ao corpo, reduzindo consideravelmente o volume da campainha do telefone.

Parte inferior do aparelho, que conta com o seu formato curvado, característico nos telefones da série Galaxy.

Sua tampa traseira é feita de plástico rígido, ficando bem encaixada no aparelho. Detalhe: os seus encaixes se fixam nos cantos do aparelho, deixando a tampa ainda mais firme na estrutura do smartphone.

Visão geral da parte traseira do aparelho, sem a tampa de plástico.

Aqui, vemos os slots para o chip SIM e o cartão de memória microSD.

Destaque para sua bateria de 1.350 mAh, que pode trabalhar durante pelo menos um dia completo, em modo EDGE. No modo 3G, dificilmente ele alcança essa marca. Se quer usar todos os recursos possíveis (3G, WiFi, GPS) de forma constante, recomendo que leve o carregador na bolsa ou mochila.

Hora de ligar o Samsung Galaxy Pro.

A cada inicialização do smartphone, você tem a consulta do conteúdo do cartão de memória. No Galaxy Pro, o procedimento torna a sua inicialização completa um pouco mais lenta. Tenha paciência.

Durante os testes, utilizei a interface Go Launcher EX (clique aqui para saber mais), que é mais rápida e visualmente mais agradável que a interface nativa do Galaxy Pro. Mas não reprovo a interface escolhida pela Samsung. Só adotei essa por questão de gosto próprio. Mostrarei algumas das principais funções da interface e do smartphone nas próximas fotos, de forma equilibrada.

Sua tela, em seus ajustes originais, tem um bom nível de brilho, mas com uma resolução baixa, se comparado aos smartphones tops de linha. Aqui, destaco positivamente o detalhe de sua tela exibir os ícones menos pixelados do que eu esperava. Em outros reviews, verifiquei que outros blogueiros que testaram o smartphone acharam que os ícones e letras exibidas na tela ficavam com uma baixa resolução. Honestamente, as imagens apareceram melhores do que eu esperava, e para um telefone cujo forte é a produtividade, esses detalhes passam desapercebidos.

Parte de calendário (do Go Launcher EX), com um visual bem melhor e mais ajustado ao telefone do que o calendário nativo do Android 2.2 que o Galaxy Pro roda.

Tela de configuração de redes sem fio. O tradicional em todos os modelos Android.

Tela de ferramentas e notificações.

Apesar de ter uma tela com dimensões reduzidas, você consegue o mínimo de organização dos ícones e widgets dispostos para uso. Originalmente, você pode ter até 7 telas diferentes, em slide, para adicionar os aplicativos e funções de sua preferência.

Teste do aplicativo do YouTube. Como a resolução da tela é baixa, mas boa parte dos arquivos de vídeo do YouTube também estão em uma baixa resolução. Logo, a reprodução de vídeos no Galaxy Pro é satisfatória. Ele pode reproduzir vídeos em HD sem problemas, mas não com uma qualidade total de imagem. Mas, repito: esse smartphone não foi feito para atividades multimídia, e sim para quem quer gerenciar contatos, e-mails e redes sociais.

Abaixo, algumas imagens do vídeo de teste do YouTube. No review em vídeo que será publicado ainda nesta semana, você verá esse recurso com mais detalhes.

Uma dica que dou de cliente do Twitter para esse modelo de smartphone é o Seesmic.

Para quem já usou programas como o Tweets60 ou o Gravity em smartphones Nokia, o Seesmic é muito semelhante na sua proposta. Sua interface deixa os tweets organizados, com sistema de notificações e adição de contas/páginas do Facebook.

Por fim, o Samsung Galaxy Pro está APROVADO. Dentro de sua proposta de smartphone com ar de BlackBerry, ele se sai bem para quem quer realizar tarefas simples, como mandar e-mails de forma rápida e prática, fazer anotações com maior precisão e atualizar as redes sociais. É uma opção para aqueles que sempre usaram smarts com teclado físico QWERTY de outros sistemas operacionais, e querem manter a mesma funcionalidade, mas se atualizando com o sistema Android.