Mais um review para o blog TargetHD. Esse review tem um ar mais informal, mais descontraído, mas com a mesma seriedade e objetividade dos reviews tradicionais. Apesar de já ser um smartphone com um certo tempo no mercado, o Nokia E5 conquistou minha esposa, na ocasião de aquisição de um novo plano de telefonia. E o modelo se mostrou um telefone bem ágil para aqueles que, como ela, não se importa muito com a guerra iOS vs Android, e querem um smartphone que tenha uma boa autonomia de bateria, e que seja bem ágil na hora de escrever mensagens de texto. Com essas qualidades, resolvi fazer uma breve análise do produto, passando minhas impressões sobre o modelo.

Para começar, destaco essa versão alternativa do E5, que combina muito bem o cinza e o prata. Os detalhes em prata nas bordas combinaram muito bem com o corpo do aparelho, e é uma escolha mais coerente de acabamento, se levarmos em conta que a tampa traseira da bateria é feita de metal. A minha única dúvida é se essa borda lateral prateada pode descascar com um uso mais prolongado, como normalmente acontece em outros modelos de telefones. Mas isso, só o tempo vai dizer.

É um telefone com baixa espessura. Ele não cria volume no bolso da calça, apesar de ser um telefone largo. Fica bem confortável para ser transportado. Na verdade, ele é um pouco menos espesso que o Nokia E63, e um pouco mais grosso que o Nokia E71, para dar uma comparação mais clara da diferença estabelecida entre os modelos.

Aqui, uma comparação rápida com outros dois smartphones, o BlackBerry Bold 9780 (à esquerda), e o iPhone 3GS  (à direita).

Perceba a boa diferença de tamanho entre os modelos. O BlackBerry é mais alto e mais espesso do que o Nokia E5, e ainda assim, o smartphone da Nokia possui uma bateria menor, porém, com maior longevidade de uso. Tudo bem, alguns recursos técnicos ficam comprometidos para uma maior autonomia de uso, mas falo sobre isso daqui a pouco.

Aqui, o comparativo mais importante. O Nokia E5 é um smartphone do “tipo” BlackBerry (ou, pelo menos, foi inspirado nesse tipo de telefone). A maior vantagem do modelo da Nokia está no seu teclado. Apesar de digitar bem no Bold 9780, eu continuo a dizer a mesma coisa que afirmei desde que comecei a fazer reviews de smartphones: os teclados QWERTY da Nokia são os melhores para os viciados em redes sociais. Teclas maiores e mais visíveis, sistema de acentuação mais ágil, e uma melhor disposição de teclas. Uma dica para quem vai apostar em um telefone com QWERTY na faixa dos R$ 500,00: se você não se importa muito com sistemas operacionais, e só quer um celular com um bom teclado para mandar e-mails e mensagens nas redes sociais, o Nokia E5 é a melhor escolha. Ainda mais se você utilizar o Gravity, que é um dos melhores aplicativos para redes sociais do mercado.

Além do teclado, uma das boas coisas que a Nokia manteve nesse modelo é o seu esquema de botões de comando. Todos os telefones da Nokia com teclado físico seguem um padrão muito próximo de layout de teclas, o que facilita a transição dos usuários Nokia para modelos da mesma marca. Além disso, torna mais fácil a vida daqueles que nunca lidaram com um telefone da empresa, pois convenhamos, não tem muito como errar com um layout desses.

Sua câmera de 5 megapixels é boa para fotos. Quero dizer, se você pretende mandar essas fotos para redes sociais (Twitter, Facebook), a sua qualidade é acima da média de smartphones Android, que custam o mesmo preço (ou um pouco mais caros), e não contam com a mesma qualidade final de imagem. E, como a maioria dos celulares de linha média, mesmo contando com um flash LED, a qualidade final das fotos em ambientes com luz artificial e/ou baixa luminosidade deixam a desejar. A gravação de vídeos também fica abaixo do necessário para um resultado razoável no YouTube, servindo mais para fazer alguma graça durante a balada ou a festa do fim de semana.

Uma das laterais do telefone, com os botões de ajuste de volume e trava de proteção da bateria. Aqui estão os problemas mais sérios do Nokia N5. Seus botões de volume apresentam uma resistência acima do desejado, tornando a ação de mudança de volume algo um pouco menos satisfatório. Suas travas de tampa de bateria são eficientes, pois prendem muito bem a tampa, deixando o telefone muito bem protegido. Por outro lado, elas são de difícil remoção para a maioria dos usuários. Recomendo um pouco de treino (mas não muito) para os usuários menos habilidosos.

A parte traseira do telefone, com sua tampa de bateria construída em metal, acompanhando muito bem o acabamento geral do telefone. Detalhe para o alto-falantes, que fica na parte superior do telefone. Seu volume para toques e viva-voz é bom, tornando as chamadas, alertas e toques bem audíveis.

Mais uma vez, chamo a atenção para o acabamento dessa versão. A Nokia conseguiu deixar o telefone muito bonito.

Sobre seu funcionamento. O Nokia E5 segue a tradição dos modelos Symbian S60 da Série E, mas com atualizações e novos atalhos para recursos modernos. A performance do telefone durante os testes foi muito boa, levando em conta as suas características. O sistema está ágil, sem atrasos durante as mudanças de tela, com boa performance no uso da internet nos modos WiFi e 3G. Talvez alguns itens de configuração continuem um pouco confusos para serem acessados, pelo excesso de telas de opções, mas nada que um pouco de treino do usuário (e uma boa leitura de manual) não resolvam o problema.

Mesmo sendo um sistema morto, o Symbian agrada, e muito. É um sistema prático e consistente no Nokia E5, e como o telefone possui características de hardware mais robustas, o sistema é mais fluído e leve no telefone. Não percebi atrasos, engasgos e travamentos durante os testes. É possível que aconteça, conforme o usuário vai acumulando conteúdos na sua memória interna. Por isso, fica a dica: utilizem os 2 GB de cartão de memória para salvar arquivos, documentos e até mesmo páginas temporárias da internet. E, como eu sei que muitos de vocês vão querer utilizar o telefone para ouvir música, vale a pena a compra de um cartão de memória microSD de, pelo menos, 8 GB.

Outro ponto de destaque positivo está na sua bateria. Como é de tradição dos modelos da Série E da Nokia, o E5 possui uma autonomia de bateria que vai agradar aos usuários que precisam de um telefone que fique mais tempo ligado. Em uso normal, ele conseguiu sobreviver a três dias completos longe da tomada. E isso, navegando na internet, acessando as redes sociais (em modos 3G e WiFi alternados), enviando e recebendo e-mails e se comunicando no Whats App. Em standby, sem nenhum recurso ativo, só fazendo e recebendo ligações, sua autonomia é maior que isso.

Você pode ver mais detalhes do Nokia E5 em funcionamento no vídeo abaixo.

Por fim, o Nokia E5 está APROVADO. Em tempos de iOS, Android e Windows Phone, esse modelo da Nokia faz um review do melhor do sistema Symbian, mostrando que ele pode ainda ser útil para uma parcela de usuários que não querem deixar de lado esse sistema, ou daqueles que querem um bom telefone, sem se importar com o sistema operacional. Ou, em particular, para a minha esposa, que achou o telefone bonito, pratico, eficiente e funcional. E isso basta para alguns na hora da compra.