Esse é um review diferente. O TargetHD procura apresentar os principais gadgets de tecnologia do Brasil e do mundo, e testar alguns dos mais recentes lançamentos. Mas não podemos esquecer dos produtos com recursos simples, e funcionalidades objetivas. Por isso, decidi fazer um rápido review do celular Nokia 1208, que apesar de ser simples, é perfeito para quem quer o básico, ou seja, fazer e receber ligações.

O produto foi o meu companheiro de trabalho durante anos, sendo o meu segundo celular. Esse modelo das fotos é um modelo novo que adquiri recentemente, para dar de presente para minha mãe, que queria um aparelho bem simples. Bom, deixo abaixo minhas impressões sobre o modelo, e por que eu acho esse produto perfeito para os usuários mais básicos.

O Nokia 1208 é uma espécie de “evolução” do ótimo Nokia 1100, que para muitos, é o melhor celular (para quem quer fazer e receber chamadas) da história da Nokia. O primeiro destaque que faço é para o seu alto-falantes de chamadas. Você ouve o seu interlocutor com clareza e em um ótimo volume, o que pode ajudar muito quanto você está em locais de grande movimento, ou dentro do metrô.

Sua tela serve apenas para exibir as informações do produto. Logo, não espere muito dessa tela. Porém, para o que o aparelho se propõe a fazer, você não vai ligar muito para isso, certo?

Seu teclado é emborrachado, e possui um acionamento macio das teclas. Na hora de digitar mensagens via SMS, o processo se torna mais prazeroso e prático, sem provocar muito estresse nos dedos.

O celular é relativamente gordinho, mas pelas suas dimensões, ele não faz muito volume no bolso.

Aqui está outro grande trunfo do Nokia 1208: o seu alto-falante externo, para reprodução dos toques do telefone e do viva-voz. Sua reprodução do viva-voz é alta e clara, tornando a conversação inteligente. Seus toques são de volume bem aceitável, e o usuário tende a ouvir o toque mesmo que o celular esteja escondido na mochila ou na bolsa.

Visão geral da parte traseira do aparelho. Sem câmera, sem muitos detalhes.

Na parte superior, a sua lanterna, herança do Nokia 1100.

Na parte inferior, conectores de fonte de energia, para recarga da bateria, e entrada para fones de ouvido, além de uma pequena entrada para cabo de dados, que nunca foi muito útil nesse modelo.

Se o Nokia 1208 tem um calcanhar de aquiles, aqui está ele: a sua tampa da bateria. Ela é feita de plástico, e pode se rachar na parte superior, ou pior, ter as suas linguetas de presilha de bateria quebradas, pelo contínuo ato de inserir e retirar a tampa. Logo, cuidado ao trocar o chip do aparelho, e evite ficar retirando a tampa de forma desnecessária.

Sua bateria é outro destaque positivo do celular. Ele tem uma autonomia excelente, podendo durar mais de cinco dias sem precisar chegar perto do carregador. Você pode até argumentar que “também pudera, esse celular não faz nada…”. Mas… quem se importa? Quando se pega um aparelho desses, já sabemos que ele só faz o básico. Logo, não dá pra reclamar. E ter cinco dias de autonomia de bateria pode ser uma ótima pedida para quem usa o aparelho para atividades profissionais.

Visão geral da parte traseira do telefone, sem a sua bateria.

Aqui, o slot para o chip SIM do aparelho.

O Nokia 1208, justamente por ser um modelo simples, é bem rápido na sua transição de menus. Os ícones de funções são grandes o suficiente para ser facilmente identificados, e o sistema de menus é de fácil identificação, como são a maioria dos telefones da Nokia.

Abaixo, algumas telas do aparelho.

Por fim, o Nokia 1208 está APROVADO. É um aparelho que bate todo e qualquer smartphone no que se refere às funções de telefonia. Cumpre com perfeição o conceito básico da telefonia móvel: comunicação. Esse aparelho ajudou muito no meu progresso profissional. Através dele, me comuniquei com clientes, fornecedores, patrocinadores e assessorias de imprensa. E tudo, com muita clareza e praticidade.