LG Q6 Plus

A LG apresentou no Brasil em setembro os novos smartphones LG Q6 e LG Q6 Plus. Os modelos marcavam a chegada do design full frontal nos smartphones de linha média da empresa.

A ideia da LG é oferecer um dispositivo com um formato diferenciado para um dispositivo intermediário, além de detalhes de acabamento herdados do modelo top de linha de 2017 da empresa, o LG G6. São chamarizes para os usuários que gostariam de sair no lugar comum da estética, mas que não contam com o orçamento para adquirir um modelo top de linha.

Porém, é preciso equilibrar design e desempenho. E, no mercado intermediário, os fabricantes tendem a utilizar o sistema “cobertor curto”: oferecem demais em um aspecto, e deixam de lado outros considerados importantes para oferecer uma boa experiência de uso de um modo geral.

Nesse review, vamos apresentar o produto e suas características, mostrar os seus pontos positivos e negativos, e identificar se ele pode atender bem ao seu público-alvo, dentro da proposta que ele oferece para esse público.

 

 

Review em Vídeo

 

 

 

 

Características Físicas

 

 

O LG Q6 Plus é um smartphone compacto, algo que me agrada e muito. O design full frontal e quase sem bordas resultou em um dispositivo com tela de 5.5 polegadas em um corpo com 5.2 polegadas, o que deixa o mesmo com um agarre agradável e cômodo, especialmente para quem tem mãos pequenas.

 

 

Além disso, o modelo oferece detalhes de acabamento que deixam o dispositivo um pouco mais premium do que ele normalmente seria, com bordas de metal em alumínio 7000. O ideal é que ele tivesse uma carcaça traseira de metal, mas infelizmente não temos isso. Não podemos querer tudo.

A ausência de um leitor de digitais resulta em um smartphone com linhas mais uniformes. Todos os conectores ficaram na parte inferior, e todos os slots para chips e microSD ficaram de um lado. Isso resultou em uma separação dos botões de liga/desliga para os de controle de volume (cada um deles ficaram de lados distintos).

 

 

Particularmente isso não me incomoda. Levando em conta que a LG quer que você desbloqueie o smartphone com o seu rosto na maioria das vezes, ter esses botões separados pode até ajudar aos usuários que não se acostumaram com o novo sistema a contar com um botão dedicado para desbloquear a tela do dispositivo.

 

 

De qualquer forma, é um dispositivo muito bonito. Sua estética cham a atenção, e não vai passar desapercebido para aqueles que se impressionam com linhas mais modernas.

 

 

Tela

 

Um dos grandes chamarizes do LG Q6 Plus.

O modelo conta uma tela IPS LCD de 5.5 polegadas (Full HD+, 2160 x 1080 pixels, 439 pixels por polegada). Historicamente, a LG sempre conseguiu entregar telas de excelente qualidade, mesmo em dispositivos intermediários. E, nesse caso, não foi diferente.

 

 

Uma ótima reprodução de cores, excelente contraste e um toque sensível e preciso, o que ajuda e muito na experiência de uso. Interagir com o sistema operacional Android nessa tela é algo muito positivo, e ver conteúdos de diferentes tipos nessa tela tem resultados satisfatórios.

Aqui, a LG acerta na aposta ao apelar para esse detalhe para o público jovem. O consumo de conteúdo em uma tela de alta qualidade, combinado em um design diferenciado podem ser a receita do sucesso desse dispositivo nas vendas.

 

 

Hardware e Software

 

Aqui, o cobertor começa a ficar curto.

O LG Q6 Plus conta com um processador Qualcomm Snapdragon 435, trabalhando com uma GPU Adreno 505, 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno (expansíveis via microSD de até 256 GB).

Em tese, tudo funciona bem. É um hardware competente o suficiente para rodar o Android 7.1.1 Nougat com todas as customizações da interface da LG (na versão 4.0) e realizar as principais tarefas do dia a dia, especialmente aquelas que se alinham ao perfil da maioria dos usuários de linha média ou de sua faixa de preço (redes sociais, navegação de internet, e-mails, algumas horas de vídeo e games).

 

 

Porém, não adianta muito colocar 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento se o processador fica um pouco abaixo do que aquele que os principais concorrentes de segmento estão oferecendo.

Aqui, a LG repete a mesma estratégia já vista nos seus smartphones top de linha, e é uma tendência que eles não precisavam seguir. Com o mercado de linha média dominado pelo Snapdragon Série 600 (seja o 625, muito equilibrado pelo equilíbrio de desempenho e consumo de bateria, ou pelo novo 630, que será tendência em um futuro próximo dentro dessa faixa de preço), apostar no Snapdragon 435 e cobrar um pouco a mais do que a concorrência é um problema que a LG terá que explicar e administrar.

A boa notícia é que o modelo já é encontrado por um valor abaixo do sugerido pelo fabricante, o que também ajuda a amenizar essa relação custo-benefício menos favorável.

 

 

Câmera

 

Outro ponto que o usuário de linha média precisa prestar um pouco mais de atenção.

 

 

O sensor traseiro do LG Q6 Plus conta com 13 MP, e oferece recursos como foto panorâmica e modo comida, que alterna a calibração das cores para realçar os pratos fotografados. Mantém a interface com recursos inteligentes que já estamos acostumados nos dispositivos da LG.

 

O resultado das fotos estão dentro do esperado para um dispositivo da sua categoria. Fotos com boa qualidade em ambientes com luz natural (talvez com cores um pouco mais carregadas do que o ideal, mas com bom contraste), fotos de qualidade aceitável em ambientes com luz artificial de boa qualidade, e fotos com elevada quantidade de ruído em ambientes pouco iluminados.

 

 

A câmera frontal de 5 MP se destaca por contar com um ângulo aberto de 100 graus, algo que está virando tendência dento do mercado de smartphones, o que mostra que o consumidor gosta de selfies, e quer colocar o máximo de pessoas possível na sua foto.

 

 

O wide angle funciona com competência, inclusive durante a gravação de vídeos. Porém, os resultados das fotos são basicamente os mesmos que os obtidos pela câmera traseira. Me incomoda um pouco a compressão adotada pela LG para suavizar as imagens. Na prática, elas podem descaracterizar um pouco dependendo da iluminação do ambiente que você está. E o flash frontal não ajuda muito nessa equação.

 

 

Não podemos dizer que as câmeras do LG Q6 Plus decepcionam. Testamos dispositivos dentro da mesma faixa de preço que entregam resultados semelhantes e, em alguns casos, até piores. Além disso, o consumidor de linha média já está acostumado com dispositivos onde as câmeras não são o ponto mais forte. Logo, nenhuma surpresa nesse aspecto.

 

 

Bateria

 

Mais um ponto não tão a favor do LG Q6 Plus.

Talvez pela necessidade de oferecer um design mais refinado, ou porque temos aqui um dispositivo com dimensões menores, esse smartphone conta com uma bateria de 2.900 mAh. É um pouco a menos que o oferecido pelos seus principais concorrentes, e daquilo que nos acostumamos a ver como o padrão nos smartphones de linha média (3.000 mAh).

E, no caso do LG Q6 Plus, isso acaba fazendo uma diferença na autonomia por conta daquele item que a empresa faz destaque na sua estratégia para promover o produto: a tela.

Por mais que o Snapdragon 435 não seja um gastador de bateria (mas não oferece o mesmo equilíbrio do 625), a tela desse smartphone possui uma resolução Full HD+ e ainda é de 5.5 polegadas. Ou seja, tende a consumir mais rápido por ser menor, contar com um hardware menos eficiente na gestão energética, e uma tela que exige naturalmente mais energia do dispositivo.

No final das contas, os resultados aqui também são os esperados: quem usa o smartphone de forma moderada (redes sociais, e-mails, algumas chamadas ao telefone, navegação na internet, alguns vídeos, etc) até consegue chegar ao final do dia com alguma autonomia de bateria. Já os que exigem mais do dispositivo (jogos, vídeos e filmes por streaming, etc) terão que levar o carregador consigo ou uma power bank para seguir usando o telefone.

 

 

Desbloqueio Facial

 

 

Outro ponto em que a LG se apoia para promover O LG Q6 Plus junto ao grande público é o seu sistema de desbloqueio facial.

O modelo é capaz de reconhecer a face do usuário para desbloquear o smartphone, algo que temos hoje no iPhone X (com o Face ID) e que já vimos em outros smartphones de outros fabricantes, sem muito sucesso histórico na popularidade do recurso.

No caso do modelo da LG, ele é muito mais uma forma de chamar a atenção dos amigos do que efetivamente um recurso que reforça a segurança do telefone, ou que oferece um uso mais intuitivo ao longo do tempo. É preciso colocar a câmera frontal do smartphone bem na frente do seu rosto para que o mesmo seja reconhecido, diferente do Face ID, que reconhece diferentes ângulos.

Além disso, o sistema da LG entrega uma eficiência que flutua de acordo com a luminosidade do ambiente onde o usuário está presente. Com luz natural, ele funciona perfeitamente. Com luz artificial de baixa qualidade, ele tem dificuldades em identificar o usuário. No escuro, o recurso não funciona.

E, antes de continuar… eu não estou comparando um sistema com o outro. Até porque a comparação é impossível, já que são smartphones com tecnologias bem diferentes. Estou apenas ilustrando essas diferenças para ilustrar como a proposta da LG ainda precisa amadurecer um pouco.

 

 

TV Digital

 

Um dos diferenciais do LG Q6 Plus é o seu sistema de TV digital. Apesar de não ser no padrão HD, ele ao menos é eficiente na captação do sinal dos canais de minha região.

Durante os testes, alguns canais foram sintonizados até mesmo sem a antena em forma de adaptador que acompanha o kit de venda do produto. Mas isso valeu apenas para os canais com maior potência de sinal.

De qualquer forma, com o uso do adaptador, a sintonização de canais foi feita sem maiores dificuldades, com resultados satisfatórios. Quem escolher o smartphone também por causa dessa funcionalidade terá bons resultados nesse aspecto.

Desempenho

 

Considerando tudo o que foi dito, principalmente no item Hardware e Software, o LG Q6 Plus vai bem para aquilo que se propõe a fazer, e para o público que se propõe a conquistar. Tem um bom desempenho na maior parte do tempo, sem travamentos ou engasgos. Rodou todos os programas que normalmente testamos nos dispositivos, o que indica que o dispositivo é relativamente competente para as tarefas mais básicas.

Já no caso dos jogos, o smartphone até os executa, mas com frame rates mais baixos e alguns lags que podem incomodar aos mais exigentes. Nesse caso, os jogos são até jogáveis, mas não com o desempenho mais limpo do que nos modelos com hardware um pouco mais completo.

De qualquer forma, é um desempenho aceitável, dentro do previsto e satisfatório. Nada que desabone ou que surpreenda negativamente em uma avaliação final.

 

 

Conclusão

 

 

O LG Q6 Plus é recomendado para quem foi conquistado pelo design diferenciado da LG para esse dispositivo. Para quem busca um smartphone com tela full frontal, mas não tem a grana para pagar modelos mais caros. Também é recomendado para quem gostou dos recursos inteligentes que a empresa implantou no smartphone (desbloqueio facial, TV digital), ou para aqueles que querem se valer da câmera frontal com ângulo aberto para as selfies.

Por fim, é um modelo que é perfeito para quem já gosta da proposta da LG, e está acostumado com a sua forma de mostrar o Android para o usuário. E para quem quer um smartphone mais cômodo para o uso diário, por ser mais compacto nas suas linhas de design.

Para todos que não se encaixam em nenhuma das situações ilustradas nos parágrafos anteriores… pesquise!