DSC01966

Não faz muito tempo que fizemos no TargetHD o review do tablet Gradiente Tegra Note 7, modelo lançado no final do ano passado em parceria com a NVIDIA. Esse foi um dos melhores tablets que testamos em todo esse tempo no blog, e foi recomendado por nós como um dos produtos a serem considerados na sua futura compra. Um dos meus tablets de uso pessoal no momento é o LG G Pad 8.3. Logo, o comparativo entre os dois modelos era algo inevitável (e foi uma das solicitações feitas pelos leitores do blog).

O objetivo desse review não é necessariamente estabelecer qual é o melhor tablet entre os dois, mas sim qual é o mais indicado para as necessidades e objetivos específicos para diferentes usuários. Que os dois produtos são bons, isso nós já sabemos. A ideia agora é estabelecer onde os produtos podem se sair melhor em tarefas específicas. Mesmo porque a diferença de preço pode se justificar também nos objetivos de uso, e podemos economizar algum dinheiro em uma escolha mais direcionada para nossas necessidades.

 

Características Físicas

As diferenças de design entre os dois modelos são evidentes, e não apenas pela 1.3 polegada a mais de tela do modelo da LG. Os dois modelos oferecem soluções distintas e pensadas nos objetivos específicos para cada modelo. É claro que a diferença de tamanho também acaba influenciando nessas soluções, mas algumas delas são mais direcionadas para aqueles que efetivamente procuram se alinhar ao conceito geral do produto.

DSC01979

Para começar, o Tegra Note 7 conta com bordas de tela mais grossas, oferecendo uma área útil um pouco menor, ainda mais levando em consideração que estamos falando de um dispositivo com tela de 7 polegadas. Nesse aspecto, o LG G Pad 8.3 aproveita melhor a sua área de tela.

DSC01984

Em compensação, o Tegra Note conta com alto-falantes frontais, nas bordas superior e inferior da parte frontal do dispositivo. Se pensarmos de forma objetiva, onde o tablet da Gradiente é pensada de forma prioritária para os jogos (todo o seu hardware é otimizado para isso), essa é uma solução bem interessante e até razoável, pois aumenta a imersão do usuário durante os jogos e até no consumo de outros conteúdos.

DSC08980

Já a LG optou por colocar os seus alto-falantes na parte traseira do dispositivo. Preservou a espessura do produto, mas em compensação, direciona o áudio para as costas do dispositivo, deixando o volume de som um pouco menos potente para o usuário. Ok, você pode argumentar que uma pessoa sensata usa fones de ouvido quando vai consumir conteúdos de áudio e vídeo (e você tem razão na sua forma de pensar). Mas isso não muda o fato que a escolha da Gradiente é melhor que a da LG nesse aspecto.

DSC01930

Outro detalhe que o produto da Gradiente agrada é o seu acabamento externo. O Tegra Note 7 possui uma combinação de um plástico com acabamento semi emborrachado na parte traseira e nas laterais do dispositivo, o que dispensa o uso de um case protetor, e não deixa marcas de dedos no dispositivo. Diferente do LG G Pad 8.3, que apesar de apostar em uma elegância que realmente ressalta os olhos com um acabamento metálico, oferece um produto mais sujeito à riscos e marcas de uso.

DSC02004

Por conta de suas escolhas de design, Gradiente Tegra Note 7 é mais espesso que o LG G Pad 8.3. No final das contas, os dois modelos oferecem um bom agarre, uma vez que a diferença de largura dos dois produtos na orientação vertical é praticamente mínima. Porém, de acordo com os objetivos específicos de cada produto, cada modelo é mais confortável para algumas tarefas em particular: ver vídeos e ler livros no G Pad 8.3 é algo excelente, enquanto que jogar usando as duas mãos no Tegra Note é uma experiência impecável. Mas falo mais sobre isso mais para frente.

DSC02010

O Gradiente Tegra Note 7 possui uma porta extra (saída micro HDMI, para conexão em monitores e TVs), e todas as suas portas conectoras (micro USB e 3.5 mm) estão concentradas em um único lado do dispositivo, enquanto que o LG G Pad 8.3 separa esses itens (conector de 3.5 mm na parte superior, junto com o slot para cartões microSD, e o conector micro USB na parte inferior). Particularmente, me agrada mais a solução da LG nesse aspecto, pois tal distribuição é mais cômoda quando quero utilizar o tablet enquanto ele carrega a sua bateria.

A diferença mais evidente entre os dois produtos é a presença da caneta Stylus no Tegra Note 7, além da compatibilidade com o case protetor, que já destacamos no review.

 

Tela

Aqui temos a diferença que mais ressalta aos usuários. O LG G Pad 8.3 possui uma tela ÌPS de 8.3 polegadas Full HD (1920 x 1080 pixels), enquanto que o Gradiente Tegra Note 7 conta com uma tela IPS de 7 polegadas HD (1280 x 800 pixels). Só pelos números, podemos dizer que a tela do tablet da LG é melhor. Mas não é só isso.

DSC01973

Apesar das duas telas serem do padrão IPS, de forma presencial, a tela do tablet da LG oferece uma qualidade final de imagem mais agradável, sem aquele aspecto de imagem esbranquiçada, algo que acontece de forma bem sutil no Tegra Note 7. Não estou aqui afirmando que a tela do tablet da Gradiente é pior, ou que não presta. Aliás, os usuários menos exigentes, ou que não vão colocar os dispositivos lado a lado em nenhum momento, sequer perceberão esse detalhe.

Mas é um detalhe que não pode ser ignorado.

Em compensação, a escolha da Gradiente é compreensível. Para uma melhor performance para os jogos, o melhor mesmo foi ter reduzido a resolução da tela para o padrão HD. Até porque não temos muitos jogos na plataforma Android com resolução em Full HD. Sem falar que jogos com essa resolução exigem uma maior demanda de hardware, e esse não é o mundo ideal (apesar do hardware do Tegra Note 7 ser muito bem ajustado para suas finalidades).

Em resumo: se você quer jogar, a tela do Tegra Note 7 é bem ajustada para essa finalidade. Se você quer ver vídeos ou ler no tablet, o LG G Pad 8.3 é a mais recomendada.

 

Sistema Operacional e Interface de Usuário

Na época do comparativo, os dois tablets contavam com o sistema operacional Android na versão 4.4.2 KitKat. Onde os produtos se diferenciam nesse aspecto está nas propostas de interface de usuário dos dois tablets.

2014-02-06 19.10.18

A LG adotou a interface altamente personalizada e já conhecida pelos usuários dos seus smartphones, com algumas funcionalidades que já são parte da assinatura da empresa (Knock On, Quick Memo, QSlide, Quick Remote, etc). Obviamente, não entrega a mesma experiência de uso de uma interface pura, e em alguns aspectos pode comprometer o desempenho em algumas atividades mais pesadas.

Screenshot_2014-07-18-12-18-36

Já a Gradiente optou por uma interface muito mais próxima daquela proposta pela Google, com pouquíssimas customizações. As poucas modificações feitas são as adições das funções que estão relacionadas ao uso do controle via Bluetooth, da caneta Stylus que já acompanha o produto, e outros recursos menores (loja de jogos e aplicativos da NVIDIA, apps diversos, etc).

Particularmente, me agrada mais a proposta da Gradiente, com um Android mais “puro” (tanto, que adotei no meu G Pad 8.3 a interface Google Now Laucher tão logo ela ficou disponível para os demais dispositivos Android). E, tal e como já afirmei antes, uma interface menos customizada é a melhor para quem quer dedicar a maior parte do seu tempo para o consumo de jogos e atividades mais pesadas.

 

Câmera

Mais uma vez eu tenho que destacar aqui que, na minha opinião, as câmeras em tablets estão presentes nesse tipo de dispositivo “para constar”. Se você quer tirar fotos, use um smartphone ou uma câmera digital dedicada. Além de não ser algo elegante, a qualidade final das fotos registradas em um tablet não está nem perto daquilo que pode ser considerado algo razoável.

Foto com a câmera do LG G Pad 8.3

Foto com a câmera do LG G Pad 8.3

Dito isso, em linhas gerais, os dois tablets contam com câmeras que seguem as regras do parágrafo anterior. No máximo você pode compartilhar as imagens nas redes sociais, mas com grandes chances de passar vergonha pela qualidade das fotos. De novo: entendo que nem os fabricantes dos dispositivos apostam que a câmera será um diferencial para alguém comprar um tablet. É adicionado mesmo para ser uma opção a mais para o usuário, mas não o motivo principal para escolher um determinado modelo.

Foto com o Gradiente Tegra Note 7

Foto com o Gradiente Tegra Note 7

Colocando lado a lado o resultado final das fotos, posso dizer que os sensores da LG conseguem oferecer uma imagem um pouco melhor. Porém, não muito. E, mesmo assim, só com a ajuda de um software de terceiro. No aplicativo nativo dos dois tablets, o resultado final das imagens se equivalem.

O sensor frontal dos dois dispositivos só servem mesmo para as videochamadas, e o modelo da LG também consegue oferecer melhores resultados nesse item.

 

Games

Toda a aposta da Gradiente/NVIDIA é feita em cima de oferecer um produto que tem como prioridade oferecer a melhor experiência possível na execução de jogos. E eles conseguiram isso.

Screenshot_2014-07-20-17-10-40

A eficiência do conjunto do processador NVIDIA Tegra 4 (ARM Cortex-A15 quad-core) e da GPU GeForce de 72 núcleos é tamanha, que ofato do produto contar com apenas 1 GB de RAM não impede que o dispositivo ofereça uma excelente experiência na execução dos mais diferentes jogos. É o dispositivo recomendado para essa tarefa, cumprindo o que promete na oferta de um desempenho impecável na execução dos games.

2014-02-09-19.36.54

O LG G Pad 8.3 também é eficiente na hora de rodar jogos. Particularmente, nunca tive maiores problemas ao rodar qualquer título no G Pad, até mesmo os mais pesados (Madden 25, Real Racing 3, Dead Trigger 2, etc). Porém, além do dispositivo da LG oferecer uma experiência de uso mais fluída e conveniente para essa finalidade, o Tegra Note possui os complementos pensados nos jogos, principalmente o aplicativo para conexão do controle via Bluetooth.

Para resumir: você consegue jogar bem nos dois tablets, mas você faz isso melhor no tablet da Gradiente.

 

Multimídia

Aqui, a tela do LG G Pad 8.3 faz toda a diferença. Os dois modelos contam com um excelente hardware para reproduzir os conteúdos multimídia, mas o resultado final das imagens reproduzidas pelo G Pad 8.3 é naturalmente superior. Cores mais agradáveis, maior nitidez, e todos os benefícios que uma tela com resolução Full HD podem oferecer.

Mais uma vez, destaco que em nenhum momento afirmo aqui que o Tegra Note 7 não possui eficiência ou qualidade para reproduzir os conteúdos de fotos, vídeos e músicas. Porém, assim como ressaltei na parte dos jogos, os resultados são melhores no G Pad, de forma inevitável. Aí, resta saber se o consumo de fotos e vídeos é a sua prioridade.

 

Bateria

Não fizemos testes comparativos diretos, mas do que pudemos detectar pelo uso prático dos dois produtos, o Tegra Note 7 apresentou uma tendência em oferecer uma autonomia de bateria maior que o LG G Pad 8.3. Aqui, temos um conjunto de hardware que trabalha melhor com o gerenciamento de bateria, além de uma tela menor, o que acaba influenciando decisivamente na autonomia, de um modo geral.

Bateria do Gradiente Tegra Note 7

Bateria do Gradiente Tegra Note 7

Até mesmo em tarefas que exigem que a tela fique ligada por mais tempo (leitura de livros, navegação na internet, games, vídeos, etc), o modelo da Gradiente promete uma autonomia um pouco maior. Levando em consideração os ajustes que cada usuário deve fazer para um consumo de conteúdo mais agradável, o tablet da LG tende a consumir mais rapidamente a sua bateria.

Bateria do LG G Pad 8.3

Bateria do LG G Pad 8.3

Detalhe: o LG G Pad 8.3 possui uma bateria de 4.600 mAh, enquanto que o Tegra Note 7 possui uma bateria de 4.100 mAh. Levando em conta suas diferenças de tamanho de tela, podemos dizer que os dispositivos se equivalem nessa distribuição de recursos localizados.

 

Desempenho

Aqui, os dois produtos “empatam”. Em linhas gerais, o desempenho do LG G Pad 8.3 e do Gradiente Tegra Note 7 é igualmente eficiente para os usuários com as necessidades mais básicas. Para quem quer um dispositivo que, de forma prioritária, seja competente para ver vídeos no YouTube, ler feeds das redes sociais, alguns jogos mais básicos e outras tarefas descompromissadas, os dois produtos são eficientes, com resultados mais que satisfatórios para esse grupo de usuários.

Para tarefas mais específicas, podemos encontrar uma divisão de forças. O LG G Pad 8.3 é excelente para vídeos em HD, leitura de livros, navegação na internet, e para atividades onde a imagem reproduzida será o ponto de maior ênfase. Já o Gradiente Tegra Note 7 é pensado para quem quer ver vídeos de forma mais ocasional, para quem pensa em reproduzir os conteúdos exibidos no dispositivo na tela da TV (se bem que o G Pad também pode fazer isso, e de modo sem fio), e principalmente, para quem gosta dos jogos.

Os dois tablets contam com um desempenho excelente. A grande diferença aqui está muito mais na experiência de uso que você quer ter no dispositivo.

 

Preço

Esse é um fator que pode ser decisivo para muitos usuários na hora da compra. Enquanto que o Tegra Note 7 só é encontrado no site da Gradiente para compra, com o preço inicial sugerido de R$ 999 (eventualmente você pode encontrar em outros sites menores – como o KaBum – com preços menores), o LG G Pad 8.3 sofreu uma forte redução de preço, e em promoções realizadas por grandes e-commerces nacionais, o produto pode ser encontrado por R$ 587.

É uma diferença considerável para quem pretende comprar um dos dois produtos.

 

Conclusão

Estamos diante de dois dos melhores tablets do mercado nesse momento. É evidente que outros modelos foram lançados (principalmente a Samsung, que apresentou no Brasil o ótimo – e com preço proibitivo – Tab S), mas a relação custo/benefício dos dois dispositivos continua a ser algo excelente. São produtos com um desempenho muito bom para aquilo que eles se propõem a fazer, e as diferenças apresentadas nos dois modelos não anulam uma opção em relação à outra. Apenas enfatiza que os produtos são pensados em grupos de usuários específicos.