Final de ano, férias, almoço de Natal na casa dos meus pais… e como não conseguimos ficar muito tempo longe da tecnologia, decidi dar uma olhada nos pequenos dispositivos eletrônicos que rodeiam a casa da minha mãe (e que, em muitos casos, ela não sabe lidar direito, por pouca afinidade). Um dos produtos que chamou a minha atenção foi o celular Samsung E1205. Decidi então testar rapidamente o produto, tirar algumas fotos do dispositivo, e passar as minhas impressões em um breve review para o TargetHD.net.

Aliás, a partir de agora, já que a proposta do site é abordar mais os produtos de mobilidade, vamos abrir o leque para o máximo de opções em produtos que ofereçam a tal mobilidade para o usuário, em diferentes segmentos, para diferentes tipos de público. Logo, se eu encontrar um produto interessante para ser publicado em uma breve análise, registrarei o produto em fotos ou vídeo no meu smartphone, e compartilharei com vocês as minhas impressões sobre o produto.

Como vocês já devem imaginar, não estamos falando de um produto com uma grande gama de recursos ou especificações avançadas. Estamos falando de um celular de entrada, um produto pensado nos usuários simples, que querem um celular para receber e fazer ligações, como é o caso da minha mãe. O Samsung E1205 também é destinado para quem quer ter um segundo telefone simples, para saídas eventuais, ou para quando não quer sair com o smartphone a tiracolo o tempo todo (como foi o meu caso, nas duas viagens que fiz para a praia, no final do ano).

Mas… será que o produto consegue atender esse tipo de usuário na prática? É o que vou tentar descobrir nesse review.

O celular é simples e discreto. Não é tão espesso quanto se imagina (ou quanto se espera de um produto de entrada, e com as suas características), e alguns detalhes visuais são bem atraentes, como essa combinação de preto com o cinza e esses frisos na parte inferior. Mas o mais importante é que o celular é pequeno o suficiente para ser segurado com conforto, e facilitando o transporte dentro do bolso da calça. Ou seja, a discrição que eu particularmente procuro em um segundo celular.

Outro fator positivo é o seu peso, de apenas 65 gramas. Isso facilita a vida de quem passa muito tempo falando ao telefone em uma ligação, e combina com o que falei no parágrafo anterior (sobre o transporte do telefone no bolso da calça). Sabe, eu adoro o meu iPhone, mas admito que é complicado ficar carregando um produto que pesa 137 gramas no bolso. Pode não parecer nada, mas em determinadas peças de roupa (principalmente bermudas), ele pode virar um pedaço de metal incômodo para ser transportado.

Aqui, temos uma ideia melhor do seu tamanho. Veja como ele confortavelmente cabe em uma mão. E, como já era de se esperar, esse modelo não possui câmera traseira para fotos. Aliás, nem precisa mesmo.

Na sua lateral direita, temos o conector para fones de ouvido e recarga da bateria do celular, devidamente protegidos por um slot. Observe também que as teclas de navegação do telefone ficam um pouco mais ressaltadas em relação ao corpo do aparelho. Pode não ser um fator relevante, mas isso ajuda para algumas pessoas que precisam apertar um primeiro botão rapidamente no escuro, ou sem olhar para o smartphone.

Um ponto positivo no GT-E1205 é que ele conta com teclas numéricas de bom tamanho, fácil identificação e bom acionamento. Você não precisa forçar muito para apertar as teclas desse celular, o que é algo sempre bem vindo. Outro detalhe importante está na presença de apenas quatro botões de comando, incluindo os dois botões para atender e desligar chamadas. Seria importante apenas que o modelo contasse com uma identificação visual mais clara, com cores diferenciadas nessas teclas, até mesmo para facilitar a vida dos usuários menos familiarizados com o mundo da tecnologia. Não que isso seja muito difícil para a maioria dos usuários (afinal, é decorar a função de duas teclas), mas certamente alguns mais velhinhos podem se atrapalhar, e é para eles que o produto se destina.

O Samsung GT-E1205 é de operação bem simples, tanto para os geeks já experientes (e nem pode ser diferente) quanto para o seu verdadeiro público-alvo, os usuários que só querem um telefone celular para fazer e receber ligações. O telefone usa uma firmware que lembra a interface de usuário da Nokia em vários aspectos, e certamente isso vai facilitar a vida de quem sempre usou um aparelho da fabricante finlandesa e, por diferentes motivos, decidiu migrar para a fabricante sul-coreana.

Também é um aparelho fácil para quem nunca lidou com nenhum celular. Pode ser o modelo perfeito para dar para o seu filho pequeno, que insiste que quer um celular com apenas seis anos de idade (eu sou contra, mas você é quem sabe…). A qualidade de chamadas do aparelho está dentro do aceitável (um pouco baixo para os meus padrões, mas não muito), mas isso também vai depender da operadora que você está utilizando. O volume de toques do aparelho também entra na casa do razoável, mas mais para o bom (digamos que é “audível” o toque, dependendo do lugar onde você está).

Sua tela pode ser o grande ponto fraco do Samsung GT-E1205. E mesmo assim, não podemos reclamar dela. Com 1.52 polegadas de tamanho (128 x 128 de resolução, e 65 mil cores), a impressão que eu tive é que ela possui um nível de brilho um pouco abaixo do desejado, até mesmo para aumentar a sua autonomia de uso. Isso pode causar um cansaço na vista de quem vai ficar muito tempo rodando joguinhos nesse celular (não imagino outro tipo de atividade prolongada com um aparelho tão simples). Mas, como disse antes, estamos falando de um celular de entrada, e isso é o de menos. Se você vai ficar olhando por 30 segundos nessa tela por utilização normal (atender um telefonema, ler uma mensagem, etc), é muito.

Um dos atrativos do pequeno aparelho é o rádio FM integrado, algo que é desejado pelos usuários que usam o celular o dia todo, e querem voltar para casa ouvindo uma música ou as notícias do dia. E, com esse aparelho, eles vão fazer isso. O Samsung GT-E1205 possui uma bateria com capacidade de 800 mAh, que seria pouco para um smartphone, mas para um celular que opera apenas em 2G e só serve para fazer e receber ligações, enviar e receber mensagens SMS, alguns joguinhos e rádio FM, é mais que o suficiente para durar três dias de uso pleno ou mais. Segundo o site da Samsung com a tabela de recursos técnicos do aparelho, ele é capaz de ter uma autonomia de conversação de até 9 horas. Logo, é muita autonomia de bateria para a sua proposta.

O menu de Contatos exibe os nomes e os números de acordo com a seleção do cursor na lista de nomes cadastrados. Não vamos exibir os nomes por uma questão óbvia de privacidade, mas é bom saber que a Samsung optou pelo fundo branco com cores pretas nos itens selecionados, no contraste do azul com branco da lista geral. Mais uma vez, um item de fácil navegação, assim como o menu de opções gerais do celular. Resta apenas o usuário saber que pode navegar pelos itens com as teclas de seleção (ou como eu disse para a minha mãe, “esse quadrado que rodeia o botão OK”).

Ah, e os joguinhos são simples, mas divertidos. Até fiquei surpreso com a qualidade dos gráficos, com uma firmware simples e apenas 65 mil cores para exibição das imagens.

Por fim, o celular Samsung GT-E1205 está APROVADO. Para seus objetivos diretos (ser um celular e nada mais), ele cumpre bem o seu papel. Para quem quer um telefone barato, só para conversar, mandar mensagens de texto e ouvir rádio no final do dia, é uma opção que pode ser considerada sem maiores receios.

Está disponível uma versão dual-chip desse modelo (Samsung GT-E1207), que ainda oferece o recurso do viva-voz, que mesmo oferecendo (na teoria) uma menor autonomia de bateria, é uma opção interessante pela vantagem dos dois slots para chips de operadora. Mas, em linhas gerais, é um telefone que seria útil para muitos. Até porque não é algo muito saudável levar um iPhone para a praia.