david-cameron

Quando falamos de proibir o WhatsApp ou outros aplicativos de mensagens instantâneas, sempre vem na nossa cabeça países com regimes autoritários, falsas democracias, ou juízes brasileiros que não compreendem como a tecnologia funciona. Mas dessa vez, a polêmica decisão está em um projeto de lei do Reino Unido.

O primeiro ministro britânico David Cameron é um conservador com clara moral dúbia e cinismo na hora de violar direitos fundamentais. Porém, essas características lhe renderam uma triste popularidade, e infelizmente, ele não gosta da codificação das mensagens que aplicativos como WhatsApp, Snapchat e iMessage utilizam.

A última ‘pérola’ proferida por Cameron para justificar o novo projeto de lei foi: “Queremos permitir que se mantenha em nosso país um meio de comunicação que não poderemos ler? Minha resposta à isso é um ‘não, não devemos permitir isso'”.

É um absurdo em todos os sentidos, uma vez que ele se ampara no medo como justificativa de uma limitação de direitos fundamentais.

Esperamos que essa lei absurda não seja aprovada, e que os britânicos tomem consciência dos objetivos ‘pontuais’ de Cameron, para que nas próximas eleições ele receba o ‘prêmio’ por mais esse serviço prestado. E que os demais países tomem esse caso como um exemplo a NÃO ser seguido.

Via Softpedia