O Razser Phone começa a chegar aos mercados internacionais, e foi submetido ao tradicional teste de tortura do JerryRigEverything.

A marca de periféricos para jogos lançou recentemente esse smartphone que é fruto da aquisição da Nexbit, que desenvolveu o telefone Robin, que é a base do Razer Phone.

Mas vale lembrar que o Robin falhou miseravelmente no teste de resistência do JerryRigEverything, de modo que é natural que se desperte uma curiosidade para saber se a Razer corrigiu todos os problemas pendentes.

A tela do Razer Phone começa a riscar no nível 6 na escala de Mohs, ou seja, dentro do esperado para um modelo top de linha. Sua estrutura metálica é sólida e robusta, sobrevivendo aos arranhões. Porém, uma simples chave consegue riscar o painel traseiro, assim como a lente de sua câmera traseira é sujeita a riscos.

O leitor de digitais na lateral não é revestido por cerâmica, mas mesmo riscado ele continua a funcionar.

O último teste é o teste da dobra do dispositivo, que mostra ser mais resistente do que o Robin, mas nem tudo é considerado perfeito nesse aspecto.

Vídeo com o teste de tortura a seguir.