Symbian

 

O iPhone foi lançado em 2007. Em 2008, o Android veio ao mundo. E tudo mudou. Mas antes disso, o mundo era dominado pela era Symbian.

O Symbian nasceu em 1997, mas se chamava EPOC, cujo desenvolvimento começou anos antes, pelas mãos da Psion software (que acabou nas mãos da Motorola), e chegava instalado em PDAs, mas tinha os smartphones como destino certo.

E a mudança de nome foi uma das melhores decisões nesse sentido.

 

 

Symbian Ltd., há 19 anos

 

 

A Psion Software passou a fazer parte de uma joint venture com Ericsson, Sony, Motorola, Nokia, Panasonic, Sharp e outras gigantes da tecnologia na época, com o objetivo de desenvolver um sistema operacional de uso comum, o Symbian OS. A sexta versão do EPOC foi a primeira da era Symbian.

Apenas para você entender a magnitude do acordo: seria o mesmo que um acordo entre Google, Samsung e Apple para criar um novo ssitema operacional, onde as três caminhariam de mãos dadas. As gigantes iniciavam um projeto que se supunha que seria conjunto, mas por conta dos interesses e personalidades de cada fabricante, fracionou rapidamente.

O Symbian deu origem a vários softwares diferentes, usando a mesma base, mas apoiadas por diferentes partes do consórcio. Por exemplo,  Series 60 (2001) era apoiado por Nokia, Samsung e LG. Já o MOAP contava com o apoio da Sharp e da Fujitsu. E a UIQ era mantido pela Sony Ericsson e Motorola.

 

Symbian S60, há 16 anos

 

 

De todas essas variantes, o Symbian Series 60 (ou Symbian S60) foi a única que prosperou.

Era o mais potente de sua época, e contava com o apoio da Nokia, força dominante do mercado na época.

O primeiro telefone com Symbian S60 foi o Nokia 7650, também o primeiro celular com câmera (foi utilizado por Tom Cruise no filme Minority Report).

Mas o primeiro Symbian para celulares foi o Nokia 9210 Communicator, com o Symbian OS 6.0.

 

 

O desenvolvimento e a evolução do Symbian S60 continuou, com vários momentos essenciais, versões maduras que chegavam a diferentes dispositivos.

O Symbian 7.0 (ou Symbian S60 Second Edtion) chegou em 2003, com o Nokia 3650, e o suporte para telas coloridas chegou em 2006, com o Symbian 9.1 (ou Symbian S60 Third Edition) foram dois momentos muito importantes do sistema operacional.

Ainda que um dos últimos campeões de vendas da Nokia fosse o Nokia XpressMusic (ou Nokia 5800) em 2008 com o Symbian S60 Fifth Editon, incluindo o suporte para as telas sensíveis ao toque, ele não chegou sem problemas.

O Nokia 5800 recebeu até oito atualizações onde o sistema foi sendo melhorado e se tornando mais estável. Infelizmente, em 2008, o iOS já estava no mercado, e o Android tinha acabado de chegar.

 

 

Nokia Belle, há cinco anos, e a morte do sistema

 

 

Em 2012, o Symbian OS S60 chegou à sua décima edição, que seria a última. Deixava de lado o nome Symbian, e se transformou em Nokia Belle, que chegou nos modelos novos e de forma retroativa para os modelos com Symbian 3  Symbian Anna, lançados a partir de 2010.

O Nokia Belle renovou a interface do Symbian, introduzindo widgets e um menu deslizável, além de brincar com as barras de navegação e notificações. Com o passar dos meses, ele seguiu avançando e recebendo funções.

O Nokia 808 PureView foi o maior expoente do Nokia Belle.

O Symbian morreu em 2013, mas manteve o seu suporte por alguns anos.

 

 

A Fundação Symbian fechou suas portas em 2010, e em 11 de fevereiro de 2011 a Nokia anunciou que passaria a utilizar o Windows Phone, em parceria com a Microsoft.

Em abril de 2011, deixou de licenciar o Symbian de forma livre, e seu mercado despencou. Meses depois, metade dos desenvolvedores do sistema abandonaram a Nokia, indo para a Samsung e o Bada, e aí o sistema operacional foi dado como morto, mas com sua morte confirmada apenas no ano seguinte.

Em 12 de junho de 2013, o Financial Times informou que a Nokia encerrava de vez a comercialização de telefones com Symbian.

Pelo caminho, ficou um pedaço da história da telefonia móvel de grandes proporções. Um sistema operacional que é o percursor de alguns dos recursos que usamos hoje, mas que jamais conseguiu competir com o iOS ou Android.

 

O Symbian já é coisa do passado

 

 

Ficou para trás aplicativos como o IrRemote, o PowerMP3 ou o CorePlayer. Tudo isso estava em dispositivos como o Nokia N-Gage, que também recebia jogos como Virtua Tennis, Rayman, Sonic e Metal Gear Solid.

Também ficou para trás a gravação de vídeos com qualidade de DVD em modelos como o Nokia N90, ou a chegada do Nokia Maps, ou a aparição de telefones que podiam se conectar à TV para reproduzir vídeos e fotos na tela. Ou o inovador suporte pra Flash em smartphones, com um Flash Lite que foi pioneiro na mobilidade.

Ou até a realidade aumentada. E a multitarefa real. E isso em 2002.

O Symbian chegou a ser o sistema operacional mais usado em 2010 para se conectar à internet.

Logo… longa vida ao Symbian.