mobile

 

A indústria dos jogos móveis já demonstra há tempos que não está distante dos jogos para PCs e consoles, conseguindo em 2016 superar as receitas brutas. Com mais de 1.3 bilhão de smartphones distribuídos no ano passado, o espectro de jogadores em potencial é muito maior, e o setor encontrou nas compras in-app o segredo para ganhar dinheiro.

A Music Magpie usa dados do Think Gaming para montar um contador de tempo que mostra a projeção do quanto dinheiro os principais jogos móveis ganharam por segundo. Clash Royale, um dos mais reintáveis de 2016, nem sequer está no top 5.

A seguir, a lista dos 10 jogos mobile que mais receitas geraram para os seus desenvolvedores nos Estados Unidos.

 

Clash Royale nem no Top 5

 

 

Mais adiante temos uma captura de tela do site para mostrar o quanto os dez jogos arrecadam por minuto. Os dados são impressionantes, e as projeções mostram como é grande esse setor, onde mais gigantes investem.

No topo, temos Pokémon GO, que apesar de ter perdido os seus 15 minutos de fama, rende até hoje para Niantic, Nintendo e The Pokemon Company 102 libra por minuto (ou 117 euros por minuto).

Na segunda posição, temos Clash of Clans, seguido de Candy Crush Saga, com arrecadações de 105 e 95 euros respectivamente por minuto.

Depois deles, vem Game of War: Fire Age e Mobile Strike, com 80 e 64 euros por minuto, fechando assim o Top 5 da lista.

 

 

Na sexta posição, aí sim temos Clash Royale, com quase 47 euros por minuto. Completam o Top 10 os jogos: Candy Crush Soda Saga, Boom Beach, Marvel Contest of Champions e Hay Day, com 33 euros, 15 euros, 12 euros e 10 euros de receita por minuto, respectivamente.

 

Para uma contagem por minuto, são números altos, se considerarmos valores diários, mensais ou anuais. Mesmo assim, eles mostram uma perspectiva mais clara de quanto dinheiro o setor de games móveis move a cada ano.

Lembrando novamente: estes números são apenas para os Estados Unidos.

Se somarmos apenas as projeções anuais desses dez jogos da lista, temos 297 milhões de euros apenas nos Estados Unidos. Com receitas anuais do setor avaliados em mais de US$ 91 bilhões em todo o planeta, compreendemos melhor que os smartphones revolucionaram o mundo dos videogames.

Talvez para sempre.