650_1000_espaico-libre-moviles

Ao comprar um computador, um console de videogames ou qualquer dispositivo eletrônico com uma determinada capacidade de armazenamento e, por sua vez, funcione com um sistema operacional embarcado… já se deu conta que a quantidade de armazenamento livre e disponível para o usuário não correspondem com aquela que aparece nas especificações do dito dispositivo?

Pois é… os smartphones não são exceção dessa regra. Pelo contrário: são os produtos que mais estão sujeitos a terem espaço disponível “roubado” pelos softwares pré-instalados.

Muito bem, o site Which publicou o infográfico que você vê no topo desse post, onde eles mostram quanto espaço livre disponível vem de fabrica em vários smartphones que, por padrão, incluem 16 GB de armazenamento. As diferenças chegam a ser gritantes: enquanto modelos como o iPhone 5s/5c e Nexus 5 contam com mais de 12 GB disponíveis, o Samsung Galaxy S4 possui apenas 8.5 GB!

Aliás, o Galaxy S4 foi protagonista de uma polêmica por sair de fábrica com pouco espaço de armazenamento disponível, apesar de ser anunciado com 16 GB. Não demorou muito para que a Samsung liberasse uma atualização que, na teoria, ampliava o espaço livre para até 9.23 GB. Segundo a Samsung (tentando se justificar), o sistema operacional ocupava 6.85 GB de espaço de armazenamento.

O que a Samsung não leva em consideração é que só a TouchWiz, interface adotada em seus smartphones, ocupa 2 GB de espaço de armazenamento. Muitas vezes com recursos inúteis, é sempre bom frisar.

Mas… por que um smartphone tem menos espaço livre que o anunciado?

O sistema operacional, os aplicativos que o fabricante adiciona como padrão e até os ajustes da operadora de telefonia móvel acabam consumindo espaço. O problema é que na publicidade veiculada pelos próprios fabricantes, quando se refere às especificações técnicas do produto, incluem essa quantidade de armazenamento como “disponível”, quando o espaço livre real é, em alguns casos, notavelmente inferior.

Via Which