prince-dead

O feriado de 21 de abril pode ter atrapalhado sim, mas apenas se você vive em uma cova muito profunda vale como justificativa para você não saber que o cantor Prince faleceu ontem. O ícone da música pop partiu desse mundo aos 57 anos de vida, provocando uma comoção entre todos, independente se era fã ou não do artista.

Depois da notícia divulgada inicialmente pelo TMZ e confirmado pelos veículos mais tradicionais, várias marcas começaram a manifestar o seu pesar pela perda, seja com uma simples mensagem em sua conta oficial ou até modificando seu logo temporariamente, para render tributo a Prince Rogers Nelson.

a-googledoodle-4-prince-1958-2016-4896035294937088.6-hp

Mas… foi realmente uma homenagem ao artista, ou uma oportunidade de fazer barulho, aproveitando o falecimento de uma celebridade? As pessoas naturalmente buscam por essas notícias, e as redes sociais acabam cheias de menções e lembranças, em ocasiões procedentes de pessoas que nem eram tão lembradas assim.

Algo parecido acontece com as grandes empresas. Não importa se a pessoa se relaciona de alguma forma ou não com a marca. Se pode lançar, por exemplo, um tweet que será compartilhado por milhares de pessoas, a empresa não pensa duas vezes.

and-then-a-bunch-of-other-brands-changed-their-logos-like-this-one-from-3m-which-is-literally-just-the-companys-logo-with-a-tear-shape-cut-out

O Business Insider levantou essa questão, e tratou de denunciar como as marcas estavam se aproveitando da morte de Prince para fazer montagens e tweets com hashtags que logo seriam reproduzidas pelos usuários do Twitter. Um exemplo claro foi o da marca de cereais Cheerios, que utilizou a imagem abaixo para “lamentar” a perda (o “i” tem como um ponto um cereal). Depois de um tempo online e algumas críticas, a marca apagou a mensagem.

cheerios_seriously

A Lenovo também não ficou calada, e aproveitou o momento para comparar os valores corporativos da empresa com os de Prince, enquanto que o Pornhub, além de cambiar seu logo, mudou o foco do tipo de conteúdo oferecido pelo seu serviço, comentando que “agora o céu é mais sexy”.

O buscador da Microsoft, Bing, também se uniu às homenagens, assim como a NVIDIA e o Snapchat (este último adicionou um novo filtro de chuva no seu aplicativo). Se bem que um dos mais polêmicos e inapropriados foi o do Getty Images (agência de fotografia norte-americana), que publicou um tweet alusivo às suas fotos, com links de suas ofertas de imagens.

mtv-purple_0

Dessas, talvez a MTV seja a que mais tivesse direito a homenagear Prince. Afinal de contas, um dia foi um canal musical, ajudando a levar a música do artista para milhões de pessoas ao redor do planeta. E, ainda assim, se limitou a mudar a cor do seu logo para a púrpura (em alusão ao clássico “Purple Rain”).

Via Adweek, Business Insider