qualcomm-snapdragon

A Qualcomm apresentou uma novidade que deve tornar o mercado de dispositivos móveis de entrada algo ainda mais atraente do que já está. O novo processador Snapdragon 210 chega aom a promessa de oferecer a compatibilidade às redes 4G/LTE para dispositivos com especificações técnicas que se enquadram na categoria de produtos de entrada ou de baixo custo.

O novo chip Snapdragon 210 é capaz de suportar redes móveis no padrão LTE-Advanced Cat 4, podendo alcançar (na teoria) velocidades de até 150 Mb/s. É claro que os resultados podem variar (e devem variar) de acordo com a qualidade da rede de dados da sua região – e como estamos falando de Brasil, na maioria dos casos, esse é o principal fator de limitação -, além da capacidade de armazenamento do dispositivo.

Além disso, o novo chip da Qualcomm também é compatível com as redes LTE Dual SIM, o que com certeza é um grande atrativo para os modelos de entrada/baixo custo. Hoje, a maioria dos modelos disponíveis no mercado contam com dual SIM em 3G. E a escolha da Qualcomm no Snapdragon 210 faz todo o sentido, dado o apelo que os modelos com suporte para duas linhas possui com o público-alvo desse segmento.

O Snapdragon 210 possui uma especificação básica de quatro núcleos de processamento de até 1.1 GHz (núcleos Cortex-A7), ficando um pouco abaixo do Snapdragon 400, o mais adotado hoje entre os modelos de linha média (Motorola Moto G, Lumia 630, etc), mas ainda é um chip ARM de 32 bits. Ao trabalhar em conjunto com uma GPU Adreno 304, ele é capaz de reproduzir vídeos em 1080p (com aceleração por hardware.

Esse chip ainda é capaz de suportar as conectividades Bluetooth 4.1 e WiFi 820.11n, e pode trabalhar com telas com resolução de 720p e câmera com sensores de até 8 megapixels com recursos avançados, como HDR e foco automático.

A Qualcom estima que os primeiros modelos com o novo processador Snapdragon 210 comecem a chegar ao mercado no primeiro semestre de 2015. Nesse mesmo período, a Qualcomm deve apresentar o seu tablet de referência de baixo custo, com o mesmo chip.

Via Tecnoblog