HP_Palm

Depois da venda do sistema operacional webOS para a LG, certamente não será uma grande surpresa saber que a HP já não tinha nenhum interesse com a Palm. Logo, podemos contar para vocês sem sustos que eles venderam aproximadamente 2.400 patentes (1.400 nos EUA, e outras 1.000 em outros países) para a Qualcomm, entre as quais incluem “técnicas fundamentais de sistemas operacionais móveis” e outras tecnologias relacionadas.

A compra aconteceu praticamente para “comemorar” o terceiro aniversário de lançamento dos modelos Pre 3 e TouchPad, que culminaram com um dos piores fracassos comerciais da história da HP. De qualquer forma, vale a pena mencionar o passado, pois o mesmo ex-CEO da Palm, Jon Rubinstein, já afirmou que a venda da empresa que dirigiu foi “um grande desperdício”… e curiosamente o mesmo Rubinstein hoje faz parte da junta diretora da Qualcomm.

Coincidência? Eu estou duvidando…

Além das tecnologias da Palm, a transação inclui as patentes dos PDAs iPAQ, e a antiga empresa de software telefônico empresarial Bitfone. Supomos que essas patentes ajudarão e muito a Qualcomm no desenvolvimento de novos componentes para dispositivos móveis, além de garantir um pouco de tranquilidade em relação aos seus adversários diretos. Sem falar que seus adversários diretos (a.k.a. NVIDIA e Intel) podem se sentir um pouco pressionados a partir de agora.

Também é importante lembrar que o Palm e o iPAQ são os percussores imediatos dos smartphones modernos, e certamente as patentes desses produtos contém informações privilegiadas que podem fazer estragos a qualquer gigante do setor de telefonia. É possível imaginar o tipo de consequências que empresas como Samsung, Apple, Nokia ou Microsoft poderiam ter se colocassem as mãos nesses registros, levando em consideração o histórico que essas empresas possuem com a famigerada “Guerra de Patentes”.

Via Qualcomm