trump

 

Hoje (20), Donald Trump toma posse como presidente dos Estados Unidos. Com isso, muitas coisas mudarão na sua rotina diária. Uma delas é o seu smartphone, que será abandonada para dar lugar  ao dispositivo aprovado pelo Serviço Secreto norte-americano.

Mas Trump pode mudar inclusive esse aspecto do governo. Barack Obama estava restrito ao seu BlackBerry, mas o novo presidente usa muito o Twitter. O problema é que agora até isso virou assunto de segurança nacional.

 

 

Mais que smart: o telefone do presidente é “dumb”

 

Em 2009, alguns problemas obrigaram Obama ao trocar o seu smartphone quando chegou à presidência. Ele não queria renunciar ao seu BlackBerry, e apesar de permitirem a seguir com o seu uso, suas capacidades eram muito limitadas.

Um vídeo famoso que correu o mundo foi o que mostra Obama quase se esquecendo de pegar o seu smartphone antes de sair do helicóptero.

 

 

Obama acabou trocando por um iPhone, que permitia o envio e recebimento de e-mails dentro de um grupo limitado de pessoas, navegar na internet e ler as notícias. Porém, ele não recebia ou realizava chamadas por esse smartphone.

Nem os membros de alto escalão do governo tinham acesso ao número do presidente, que eram obrigados a usar a estrutura telefônica da Casa Branca. Aliás, o próprio Obama tinha que usar essa mesma estrutura para realizar essas chamadas.

Trump já confessou para um amigo que desejaria manter o seu dispositivo tradicional (um “Samsung Galaxy”, sem maiores detalhes), mas o smartphone já teria sido substituído por um “dispositivo seguro e codificado, aprovado pelo Serviço Secreto, e com um número de telefone que poucos conhecem”.

Levando em conta que Trump boicotou a Apple durante a sua campanha eleitoral, é pouco provável que esse dispositivo seja um iPhone.

Mas como a hipocrisia é mãe de muitos políticos… eu não duvido de nada.

Com Obama, as preocupações sobre potenciais invasões resultaram em uma bolha em torno de todas as soluções tecnológicas que ele utilizava enquanto presidente dos Estados Unidos.

Já Trump deixa claro que vai seguir usando o Twitter durante o seu mandato, e algumas pessoas mais próximas indicam o novo presidente como alguém “incrivelmente acessível”, atendendo o telefone até mesmo quando ele não sabe quem é o autor da chamada.

Vai ser interessante ver se Trump manterá essa atitude, ou se vai atender as exigências do Serviço Secreto.

 

Via AP, The New York Times, CNN