A capacidade de armazenamento dos smartphones ficou estancada por anos. Essa realidade mudou radicalmente e rapidamente, quando os usuários começaram a reclamar, e as marcas começaram a competir entre si nesse aspecto.

Dos 16 Gb para os tops de linha e 8 GB para modelos de linha média-baixa, passamos para 32 GB e 16 GB respectivamente. E em 2017, os números mudaram de novo, para 64 GB e 32 GB.

A notícia é boa para os usuários, já que o armazenamento é um dos recursos mais importantes de qualquer smartphone. Mas… qual é o mínimo de armazenamento que devemos ter em um dispositivo?

A pergunta é válida, pois o objetivo final é obter uma boa experiência de uso sem ter que recorrer a um cartão microSD.

Nos modelos top de linha, 64 GB podem ser suficientes para a maioria dos usuários (para mim não é: preciso de, pelo menos, 128 GB de armazenamento). Já nos modelos de entrada, 32 GB são mais que aceitáveis.

A melhoria nas câmeras e na captura de vídeo faze com que fotos e vídeos ocupem cada vez mais espaço, mas também para um gerenciamento minimamente razoável, evitando o acúmulo de conteúdos desnecessários, não podemos ter problemas de espaço de armazenamento.

Se isso acontece, precisamos de tempos em tempos esvaziar nosso smartphone, passando fotos e vídeos para o PC, disco rígido externo ou até na nuvem.

Mas… e para você? Qual é o espaço de armazenamento ideal para um smartphone?