best worst - Quais empresas de tecnologia triunfaram (e quais patinaram) em 2012?

2012 não foi um ano com grandes surpresas no mundo da tecnologia. Na grande maioria dos casos, as empresas que foram bem em 2011 continuaram a ter sucesso nesse ano, enquanto que as companhias que estava mal das pernas no ano passado não demonstraram muitas perspectivas de mudanças nesse ano. Mesmo assim, é sempre bom dar uma olhada no que aconteceu nos últimos 12 meses, e ver quais foram os vencedores e perdedores no mundo da tecnologia. Até mesmo para comparar com os resultados de 2013.

Então, veja abaixo a lista das empresas de tecnologia que triunfaram ou patinaram em 2012.

Os Vencedores

Apple: quando a pior coisa que pode acontecer com você é lançar um aplicativo de Mapas que é horroroso, é sinal que você ainda está indo muito bem. Mesmo com percalços, dificuldades e críticas, a Apple teve um 2012 positivo, com lançamento de duas novas versões do iPad, uma nova versão do tablet com 7.9 polegadas, um iPhone 5 com vendas fortíssimas, e um “lucro decepcionante” de apenas US$ 35 bilhões em um único trimestre. 2013 é um ano chave para a Apple, e principalmente, para Tim Cook. Será que o CEO vai conseguir manter a trajetória de sucesso deixada por Steve Jobs? Pelo menos nesse primeiro ano, ele e a empresa conseguiram segurar bem a onda.

Samsung: Perdemos US$ 1 bilhão em um veredito nos EUA para a nossa rival mais odiada? Sem problemas: vamos pagar com um caminhão de moedas! Bom, brincadeiras a parte, a fabricante sul-coreana teve um ano de 2012 memorável, se tornando a fabricante referência no mundo Android, inserindo mais um sucesso no mercado de smartphones top (Galaxy S III), além de mais um bem sucedido tabletphone (Galaxy Note II). Não só isso: está prestes a tomar da Nokia o posto de maior fabricante de celulares do mundo. Sem falar no Nexus 10, o tablet do Google e nos demais segmentos de mercado que a fabricante sul-coreana atua.

Google: Você se lembra quando o Google eram um serviço de buscas na internet? Pois é… esse Google não existe mais. Bom, o buscador existe, mas não é o principal negócio da empresa. Hoje, o Google tem o sistema operacional móvel mais popular do mundo, oferecer a rede de internet mais rápida do planeta nos Estados Unidos, e pode ter nas mãos o formato de pagamento mais utilizado no futuro (com o Google Wallet). Sem falar no Mapas, onde é líder, nos diversos serviços na nuvem e nas novas ferramentas em tecnologias em desenvolvimento. Resumindo: se já não dominou o mundo, o Google vai seguir no seu plano de conquista e dominação em 2013.

Os Perdedores

RIM: Lembra quando eu disse lá em cima que os US$ 35 bilhões feitos em um trimestre pela Apple foram considerados “decepcionantes”?. Pois bem, a Research in Motion perdeu US$ 235 milhões em um único trimestre de 2012… e isso foi considerado um sucesso, pois era esperado que a empresa perdesse ainda mais! Bom, isso poderia ilustrar como foi o ano de 2012 para a RIM, mas podemos deixar as coisas mais claras: os BlackBerrys perdem mercado de forma vertiginosa a cada trimestre, e a única salvação para RIM (ou última esperança) é o lançamento do BlackBerry 10. 2013 é o ano de decisão da empresa: se o BlackBerry 10 der certo, eles continuam no jogo. Se der errado, é “end of game” para a empresa de Waterloo.

HTC: A HTC até chegou a lançar smartphones considerados interessantes em 2012, como o One S e o DROID DNA. O problema é que eles não tiveram um público que se importasse o suficiente com esses lançamentos, principalmente em um ano onde a Samsung lança o Galaxy S III, a Apple lançando o iPhone 5, a Motorola lançando novos modelos da linha RAZR, o Google lançando o LG Neuxs 4… e não ajuda em nada a empresa sair oficialmente de alguns mercados (como foi o caso do Brasil). Resultado: queda de 19% nas vendas entre setembro e outubro. Mas a HTC ainda tem uma esperança para 2013, uma vez que suas vendas globais tiveram uma recuperação de 23% entre outubro e novembro, e novos lançamentos da empresa devem aparecer no começo do ano que vem.

HP:
A HP sofre mais de problemas administrativos. Sendo mais específico: CEOs incompetentes. Léo Apotheker, Meg Whitman e outros nomes ajudaram a manchar a imagem da empresa administrativamente, isso sem falar nas decisões equivocadas de compras de outras companhias por um valor acima do que elas realmente valiam. E pior: vendendo depois algumas dessas empresas por um valor menor do que elas realmente valem. Sabe o que é o mais inusitado? A mesma Meg Whitman está tentando se candidatar ao cargo de governadora do estado da Califórnia. Ou seja… californianos… abram o olho!

Inspirado no post do BGR.com