QLED e Nano Cell

 

Em 2016, a grande revolução tecnológica nos televisores foram os nanocristais, ou Quantum Dots. Em 2017, vamos um passo além com a chegada do QLED e do Nano Cell, apresentados pela Samsung e LG na CES 2017.

O objetivo é o mesmo: tirar o OLED do trono da máxima tecnologia de imagem nas TVs top de linha.

Como eles pensam em conseguir isso?

 

Mais brilho com controle e melhor precisão de cores

 

 

O HDR está na moda nas TVs, Nada de 3D aqui. E os fabricantes com tecnologia LED querem recuperar terreno com o OLED em qualidade de imagem global.

Em 2016, as TVs LED incorporaram de forma massiva a tecnologia de nanocristais para melhorar a qualidade de imagem. Fizeram isso nos modelos top de linha.

Em 2016, as recém apresentadas tecnologias Nano Cell (LG) e QLED – antes SUHD (Samsung) querem prevalecer. No caso da Samsung, nada mais é do que diodos do tipo orgânico, com maior precisão de cores e brilho mais controlado.

 

 

Como funcionam os novos Quantum Dots

 

 

Apesar da mudança de denominação, as telas QLED são uma melhoria dos nanocristais que chegaram em 2015. Essas partículas são compostas por materiais semicondutores, que atuam de forma similar às células de uma tela OLED, mas sem os seus inconvenientes.

A peculiaridade das nano partículas das telas QLED é que, apesar de ainda necessitar de uma luz traseira, a ativação dos pixels é independente, melhorando o contraste infinito das telas OLED.

Além disso, a Samsung adicionou um revestimento novo de metal, que além de conseguir controlar melhor a direcionalidade de cada ponto, tem menos interferências entre pontos para uma maior precisão de cor.

E o Nano Cell faz a mesma coisa.

 

Os cinco pontos essenciais que QLED e Nano Cell se comparam com o OLED

 

Tanto QLED como Nano Cell aproveitam suas melhores tecnologias para enfrentar o OLED nas TVs top de linha, com a vantagem teórica de um preço menor. E este são os cinco pontos chave:

 

1. Mais brilho

Com o HDR, o brilho tem um papel fundamental na qualidade de imagem. Os novos QLED e Nano Cell aumentam isso de forma considerável: o QLED o faz com o dobro de qualidade das telas SUHD do ano passado.

 

2. Melhores Cores

A tecnologia QLED da Samsung abraça 100% do espaço de cores DCI-P3. A tecnologia Nano Cell também absorve linhas de cores mais amplas.

 

3. Sem perda de fidelidade

Com os novos nanocristais, não se trata apenas de ter mais cores em condições adequadas, mas sim manter uma fidelidade que não é algo simples de conseguir em telas LED com mais brilho. O QLED parece ter conseguido isso, o que entrega um valor agregado extraordinário frente ao OLED.

 

4. Negros mais puros

Os novos nanocristais não dependem de uma retro iluminação para serem ativados, e isso faz com que o contraste das telas QLED cresça exponencialmente, se aproximando mais no negro puro e contraste infinto do OLED.

 

5. Melhores ângulos de visão

Se a qualidade de imagem não depende do ângulo que olhamos na tela, há uma melhora que aproxima as novas tecnologias do OLED. Um melhor sistema de retro iluminação que pode ser direcional a partir de cada pixel permite aumentar os limites estabelecidos pelas telas LED.